Entre os mais de 20.000 fãs que coloriram as bancadas do Nürburgring para a disputa da 4ª ronda do ADAC GT Masters, no passado fim-de-semana, estava um campeão do mundo de F1, que também é pai de outro campeão do mundo da categoria máxima do automobilismo. Na qualidade de dono de uma equipa e também porque continua a ser um apaixonado do automobilismo, Keke Rosberg não esconde estar bem impressionado com o que vem vendo nesta competição de GT3.

O campeão de Fórmula 1 em 1982, esteve a acompanhar o desempenho da equipa que faz alinhar dois Lamborghini Huracán GT3, entregues às duplas, Jonathan Judek/Jimmy Eriksson (#35) e Aaro Vainio/Michele Beretta (#53) e, não só saiu satisfeito por ver a sua estrutura amealhar os primeiros pontos no campeonato, como ficou deliciado pelo alto nível e competitividade das provas.

“Automobilismo de alto nível com excelentes pilotos”, disse Keke Rosberg. “A competitividade é brutal, o que torna ainda mais recompensador o nosso primeiro ano de aprendizagem com os Lamborghini. Temos vindo a evoluir o nosso desempenho na competição e estamos muito satisfeitos por obter os nossos primeiros pontos”.

Os primeiros pontos para o Team Rosberg no ADAC GT Masters foram obtidos por Aaro Vainio/Michele Beretta, em Nürburgring. Na corrida de sábado, a primeira das duas disputadas no passado fim de semana, os pilotos do #53 Lamborghini Huracán GT3 saíram de 20º para concluir no 8º lugar.

O diretor da equipa, Arno Zensen, estava obviamente satisfeito, não se coibindo de elogiar os seus pilotos. “É um particular prazer que esta dupla tenha entrado nos pontos através do seu esforço, sem táticas, sem ajudas das condições atmosféricas, apenas através da virtude do ritmo imposto na corrida”.

Ainda há trabalho a fazer, como assume Zensen. “Ainda estamos a algumas décimas de encontrar o ritmo que nos permita andar com os carros mais competitivos”, disse Zensen. “Estamos a trabalhar na evolução. No entanto convém não esquecer que os nossos jovens ‘rookies’ estão a competir com pilotos muito experientes, muitos deles na casa dos trinta anos. Não é fácil entrar nos 10 primeiros de uma competição como esta, com equipas e pilotos de altíssimo nível”.

Com o Team Rosberg a competir também no DTM e com a próxima etapa do ADAC GT Masters a disputar-se em Zandvoort, Arno Zensen não esconde alguma ansiedade. “Tivemos a nossa primeira vitória no DTM este ano em Zandvoort, com a Audi em Julho. Pode ser que isso seja um bom presságio para nós. Quem sabe os nossos ‘Lambo’ possam causar boa impressão nesta grande pista das dunas do Mar do Norte”.

Texto: Jorge Cabrita  Fotos: ADAC GT Masters