Fez-se história ontem no automobilismo português, quando António Félix da Costa cruzou a linha de chegada como vencedor do Saudia Ad Diriyah E-Prix, primeira etapa da temporada do campeonato ABB FIA Fórmula E. O português venceu ‘na raça’ uma prova em que largou da pole position e dominou durante a primeira metade.

A partir de meio da corrida, Félix da Costa ficou à mercê do fortíssimo andamento dos carros da DS Techeetah, sendo alcançado e superado por Jean-Eric Vergne. Enquanto o francês, Campeão em título, se foi literalmente embora no comando da corrida, Félix da Costa teve que líder com o outro carro ‘preto e dourado’ de André Lotterer. A muito custo, o ‘Formiga’ lá se foi defendendo, mas eis quando com dois terços da corrida concluídos era aplicada uma penalização aos dois carros da DS Techeetah, que tiveram que passar pela linha de boxes. Com isto, Félix da Costa reassumiu a cabeça da corrida e manteve um ritmo constante, nem sequer fazendo uso dos Attack Mode que lhe foram atribuídos, nem tão pouco do Fan Boost de que foi um dos contemplados para esta prova.

Os dois carros da DS Techeetah, caíram algumas posições com a penalização atribuída por má gestão do sistema de regeneração, mas tanto Vergne como Lotterer começaram de novo a ganhar posições, exibindo um notável ritmo de corrida. Nas últimas voltas, Félix da Costa usou de todos os ‘trunfos que tinha na manga’, os Attack Mode que tinha e o Fan Boost, conseguindo dessa forma sobreviver à ponta final fortíssima de Jean-Eric Vergne. O ‘Formiga’ venceu com Vergne bem nos seus ‘calcanhares’. Foi uma vitória na raça do português que deu mais uma prova (nem era preciso) do seu enorme talento. Depois de dois anos de verdadeiro calvário no campeonato, onde ainda conseguiu vencer uma prova com os ‘lentos’ carros da Andretti, eis que agora com a equipa a ser trabalhada pela BMW, o português torna a ter argumentos e a cumprir integralmente os objetivos.

“Sabe mesmo bem”, confessava no final António Félix da Costa. “Para ser sincero, passei por dois anos muito difíceis. Já se sabe com as coisas são no mundo das corridas. As pessoas esquecem depressa e só somos tão bons como a nossa última corrida. Nem sempre foi fácil, mas este era o plano. Mantivemo-nos juntos, continuámos a trabalhar intensamente. Por isso, tenho muito que agradecer a toda a equipa.”

Para Jean-Eric Vergne, provavelmente este foi uma das classificações mais dolorosas da carreira. É bem verdade que o segundo classificado é ‘o primeiro dos últimos’ e o francês demonstrou em pista ritmo para poder vencer. No entanto, neste campeonato e nesta temporada mais que nunca, saber regenerar a energia do carro, gerindo a sua potência é fundamental e nesse capítulo o francês cometeu um erro que lhe foi fatal. De qualquer forma, na Arábia Saudita os carros da DS Techeetah mostraram estar fortíssimos, embora na prática tenham desperdiçado uma oportunidade de ouro para surpreender a concorrência, que agora já sabe que há trabalho a fazer até à próxima etapa.

Jean-Eric Vergne – Techeetah

No derradeiro lugar do pódio, chegou Jerôme D’Ambrosio num dos carros da Mahindra Racing. Na sua estreia com a equipa indiana, o piloto belga teve um bom desempenho, fazendo uma corrida bastante eficaz, em que nunca foi exuberante mas sobretudo transpareceu uma enorme consistência.

Um grande resultado foi também o obtido por Mitch Evans. O neozelandês da Panasonic Jaguar Racing, teve que usar de muita astúcia para sobreviver aos riscos de convivência com uma dupla em contante disputa pela 4ª posição, composta por Sébastien Buemi (Nissan e dams) e André Lotterer (DS Techeetach). Nos ‘últimos cartuchos’ da corrida, Evans soube com astúcia superar os seus dois adversários, para chegar em 4º, na frente de Lotterer e Buemi. Oliver Rowland foi 7º no outro carro da Nissan e dams, seguido dos dois Audi Sport Abt Team Schaeffler de Daniel Abt e Lucas di Grassi, enquanto que o brasileiro Nelson Piquet Jr chegou na derradeira posição do ‘top ten’ no carro #3 da Panasonic Jaguar Racing.

Concluída que está a primeira etapa do campeonato, António Félix da Costa lidera com 28 pontos, 10 de vantagem sobre Jean-Eric Vergne. Jerôme D’Ambrosio é 3º com 15 pontos. Nas equipas, lidera a DS Techeetah com 29 pontos, seguida da BMW I Andretti com 28 e da Mahindra Racing com 15.

O campeonato prossegue a 12 de janeiro em Marraqueche (Marrocos).

Texto: © Jorge Cabrita
Fotos: © Media Fórmula E/LAT/