Saindo da pole position, o espanhol Daniel Juncadella deixou a traseira escorregar demasiado no arranque para a primeira das duas corridas do DTM em Brands Hatch. O espanhol, aos comandos do #23 Mercedes-AMG C63 do Team HWA, acabaria por isso por curvar em Paddock Hill já no 3º lugar, superado pol Lucas Auer e René Rast.

Ao fim da primeira volta, René Rast parou para mudar de pneus no #33 Audi RS5 do Team Rosberg, enquanto Lucas Auer se consolidou na frente com o #23 Mercedes. No entanto, quando todos os pilotos do top cinco já haviam parado e logo após uma ‘slow zone’, motivada pela saída de pista de Loïc Duval, no #28 Audi RS5 do Team Phoenix, Daniel Juncadella superou Auer, tirando partido do facto dos pneus novos do Mercedes do austríaco ainda não estarem à temperatura, após a paragem na boxe.

A partir daí, o espanhol da Mercedes foi consolidando a sua vantagem, ao mesmo tempo que exibia uma inegável superioridade do #23 Mercedes no traçado britânico. No final, Juncadella venceu com 7.896s de vantagem sobre o brasileiro Augusto Farfus, que após ‘tomar a boleia’ de Juncadella para superar Lucas Auer, não mais saiu do encalço do líder, embora sempre impotente para sequer lhe fazer sombra. Augusto Farfus levou mesmo o #15 BMW M4 DTM ao 2º lugar, naquela que é até agora a sua melhor classificação na temporada.

“Hoje é um grande dia para mim”, disse Daniel Juncadella. “O início da corrida foi um pouco decepcionante, pois perdi duas posições. Mas depois, a equipa foi ‘mega’ no ‘pit stop’. Graça a eles, consegui reaparecer na frente e daí até ao fim tive excelente ritmo. Tratei esta corrida quase até ao fim como se se tratasse de um Qualifying. Na última volta afrouxei o ritmo e mantive-me afastado dos corretores, para apenas trazer o carro até ao fim. A minha primeira vitória no DTM é muito especial, uma ocasião especial para mim. O carro estava perfeito e hoje vou celebrar com a minha equipa, pois eles são uma grande parte desta vitória”.

Lucas Auer, que chegou a liderar a prova, teve mesmo que se contentar com o 3º lugar, embora o piloto do #22 Mercedes não tenha conseguido esconder no final alguma insatisfação pelo seu resultado.

A fechar o top cinco colocaram-se René Rast e Philipp Eng, que no #25 BMW M4 se defendeu galhardamente nas derradeiras voltas da corridas, para ‘sobreviver’ aos ataques de Gary Paffett, no #2 Mercedes do Team HWA.

Até ao 10º lugar, ficaram ainda classificados, Pascal Wehrlein (Mercedes), Edoardo Mortara (Mercedes), Marco Wittmann (BMW) e Mike Rockenfeller (Audi), que de certo protagonizou o momento mais emocionante da corrida, quando superou Jamie Green (Audi) e Timo Glock, no final de Hawthorn Hill.

Texto: Jorge Cabrita  Fotos: DTM Media