Valeu a pena esperar pela noite para ver a primeira corrida do DTM nestas condições. A chuva que caiu antes da prova de hoje em Misano, foi um ingrediente extra para ‘apimentar’ aquela que veio a ser uma das mais emocionantes corridas deste campeonato.

Paul Di Resta saiu da pole position para assumir a primeira posição na abordagem à curva 1, seguido dos seus companheiros na Mercedes (Team HWA), Gary Paffett e Edoardo Mortara. Com muitas disputas e ultrapassagens, alguma ‘chapa’ amolgada também nas primeiras voltas, chegou a primeira situação de Safety Car, motivada pelo toque involuntário de Edoardo Mortara em Gary Paffett, quando o italiano tentava defender a posição do ataque de Philipp Eng (BMW). Paffett abandonou e forçou a primeira de duas situações de Safety Car na corrida.

Na segunda largada, ao estilo Indy, a emoção manteve-se e na frente seguia o BMW de Augusto Farfus, que ainda sem parar se colocava na situação de líder, seguido de Paul Di Resta. O britânico teve uma pequena distração que lhe custou a segunda posição, após manobra ousada de Philipp Eng que, que saído das boxes veio com muito ritmo. O austríaco foi embora mas mais um incidente chamou o Safety Car e reagrupou o pelotão, que a esta altura já era mais reduzido.

No reinício, Eng foi de imediato superado por Di Resta, mas de novo o escocês da Mercedes  (Team HWA) se deixou superar pelo jovem austríaco da BMW. No entanto, nas últimas voltas, Philipp Eng pagou caro o elevado ritmo que impôs para superar Paul Di Resta e, com o desgaste prematuro dos pneus começou a pique a cair posições, até se ‘reformar’ no 8º lugar.

Muito calculista, Paul Di Resta assumiu a liderança da prova e geriu de forma brilhante o seu ritmo, mesmo nas voltas finais, quando chegou a ser incomodado por Edoardo Mortara e Robin Frijns. No final, a vitória do escocês da Mercedes foi mesmo incontestável.

“Esta vitória é um passo enorme na minha luta pelo campeonato”, disse Paul Di Resta. “Mas foi tudo menos fácil. Tive que trabalhar muito. Só espero conseguir dormir bem hoje e que o meu carro esteja impecável amanhã”. Para já, somando o que obteve pela pole position e vitória na Corrida 1, Paul Di Resta acumulou 28 pontos, contra zero do líder do campeonato, Gary Paffett.

Na luta pelos restantes lugares do pódio, sobressaiu Robin Frijns. O holandês da Audi conseguiu superar Edoardo Mortara na penúltima curva da última volta. Robin Frijms, diga-se de passagem fez uma prova brilhante em Misano, chegando em 2º após partir da 6ª linha da grelha de partida, em 12º.

Na quarta posição chegou Loïc Duval, que também efetuou uma excelente corrida, de trás para a frente, no Audi RS5. A fechar o lote dos cinco primeiros, colocou-se Nico Müller, também num Audi.

Nos restantes lugares pontuáveis classificaram-se: Pascal Wehrlein (Mercedes), Timo Glock (BMW), Philipp Eng (BMW), Marco Wittmann (BMW) e Mike Rockenfeller (Audi).

Correndo em Misano World Circuit Marco Simoncelli, graças ao espírito de iniciativa dos organizadores do DTM, Alessandro Zanardi esteve ao seu melhor nível. O simpático e talentoso piloto italiano, levou o BMW M4 ao 13º lugar.

Texto: Jorge Cabrita  Fotos: DTM Media