Flash Teste Audi Q5 2.0 TDI 150cv: Com Muito Amor Próprio

A opção de motorização presente neste Audi Q5 cumpre essencialmente a função de proporcionar desempenho q.b, a um conjunto que com motor 2.0 litros e caixa manual acaba por ficar um pouco mais acessível na 'contagem' dos euros

0

 

O luxo paga-se, a classe também. O Audi Q5 tem tudo isso e muito mais para entregar ao cliente que sabe bem o que quer e porquê. O Q5 vale em tudo, mesmo se na gama o 2.0 TDi de 150cv, com caixa manual e tração dianteira,  é a proposta de menor valia em euros. A esta versão de entrada no Audi Q5, deitámos sempre o nosso olhar desconfiado. A isso, o SUV germânico respondeu com um piscar de olhos. 

Diz o ditado que “em equipa que ganha não se mexe”. Mas o que tem um ditado de desportos coletivos a ver com o Audi Q5? Nada, mas como o ditado pode ser usado para muitas situações, nada melhor que pegar nele para dizer, de forma indireta, que a marca dos anéis mantem a aposta num dos seus automóveis, SUV’s, mais importantes. Na verdade, a marca até mexeu neste produto, mas apenas no detalhe e função, já que a forma, essa está provada que assim funciona e bem.

As Elegantes Linhas de Um Senhor Com ‘Pinta’

Este Audi Q5 2.0 TDI, com 150cv e caixa manual de 6 velocidades, corresponde à versão de entrada nas propostas diesel do SUV da marca germânica. Nem por isso se pense que é o parente pobre da gama Q5, até porque esse membro será doutra família que não esta, onde todos são de ímpar riqueza. Para começo de conversa, é uma ‘família’ bem conseguida, esta do Q5, que foi alvo de retoques no visual para ficar, por um lado ainda mais apetecível, por outro mantendo a robustez e competência que dele se espera e exige.

Na imagem está por demais elegante e a unidade que testámos é disso prova, com uma ‘divinal’ conjugação de tonalidades totalmente opostas, por um lado a cor dominante, um branco reluzente e por outro, detalhes aqui e ali num preto que traz agressividade e ao mesmo tempo requinte.

A frente é imponente e claramente o ponto mais dinâmico no visual do SUV da casa de Ingolstadt, com a enorme grelha dianteira em preto, a ser escrupulosamente guardada pelas óticas de duplos retângulos sublinhados por uma ‘linha’ LED que é um encanto. Nas extremidades do para-choques estão umas enormes entradas de ar que não deixam passar ar algum, mas têm umas ‘guelras’ que esteticamente ‘ficam a matar’ neste elegante alemão. Todo este carro tem enorme dinamismo visual, como que ostentando convidar para uma envolvente viagem dinâmica. E há convites aos quais é difícil resistir.

E depois, bem, há a traseira em que merecem toda a atenção os faróis LED que ainda trazem piscas, também em LED, num inegável exercício de elegância das luzes. A secção posterior do Audi é ainda assim como que um ‘toque a reunir’ ao equilíbrio, com linhas bastante mais discretas e suaves, quando comparadas com a secção dianteira.

Interior Moderno e Requintado

Dentro do Audi Q5 notamos um espaço amplo com design simples mas de elevado requinte. A elegância, dentro de portas, vê-se nos detalhes de um espaço bem pensado. O tablier e a consola central, assim como outras secções do interior este automóvel, são abrilhantados por um friso micro metálico que também está presente nas portas e no volante e que serve como único contraste a um espaço em que a cor dominante é o preto. Ainda relativamente à consola central, extremamente ampla, podemos encontrar os comandos do sistema de infoentretenimento, que controlam o navegador, telefone e outras aplicações, assim como um pequeno botão que controla o sistema de áudio, entre outros pequenos comandos. No tablier, temos o éran MMI de 8,3″ assim como os controlos da climatização.

Para os ocupantes dos bancos dianteiros está presente requinte e conforto e especificamente para o condutor, um assento bastante ergonómico com múltiplas configurações para assegurar a posição de condução ideal, que é algo que consegue com relativa facilidade neste SUV. Para o nosso gosto, até porque estes modelos alemães têm um ajuste do volante em profundidade que é bastante… profundo, a posição de condução proporcionada pelo Q5 é mesmo perfeita.

Foto: Audi

Para quem viaja atrás, está disponível também espaço e qualidade, que aqui bem podem ser sinónimos de conforto. Na segunda fila de bancos do Q5 viajam três passageiros, embora na nossa opinião em extremo conforto apenas dois, já que o banco central é duro que se farta e uma excelente proposta mas como apoio de braços e pouco mais que isso. Os ocupantes dos bancos traseiros dispõem de ar condicionado através de respiradores na extremidade da consola central.

Na ampla bagageira, cabem 550 litros, extensíveis aos 1550 com os bancos rebatidos.

Foto: Audi

Motor 2.0 e Muita Competência

A unidade que dá vida a este Audi Q5 é o motor 2.0 TDI, associado a uma caixa manual de 6 velocidades. Este motor, bastante competente é, ainda assim, o menos potente de todos os disponíveis na seleção pelo SUV germânico. Não se pense por isso que é um parente pobre das motorizações do Q5, já que garante desempenho em quase toda a linha. Os 150cv que disponibiliza são obtidos na faixa entre as 3250 e as 4200 rpm. O binário, 320 Nm, está pronto entre as 1500 e as 3250 rpm, o que diz bem da disponibilidade deste bloco.

Com este ‘pulmão’ o Audi Q5 necessita de 9,7 segundos para chegar dos 0 aos 100 km/h, sendo capaz de atingir os 206 km/h de velocidade máxima. Os consumos anunciados traduzem-se numa média de 4,5 l/100 km, embora nas nossas mãos nos tenhamos ficado pelos 6,7 l/100 km.

Em Estrada – Prazer de Condução e Competência

A opção de motorização presente neste Audi Q5 cumpre essencialmente a função de proporcionar desempenho q.b, a um conjunto que com motor 2.0 litros e caixa manual acaba por ficar um pouco mais acessível na ‘contagem’ dos euros. Em estrada e falando especificamente da dinâmica, o Q5 cumpre, proporcionando conforto inclusive quando nos aventuramos pelos estradões de terra, garantindo uma notável insonorização e com um chassis bastante equilibrado, que funciona muito bem em curva, nem sequer adornando demasiado, ainda que o compromisso tenda a privilegiar o conforto.

Falando especificamente em termos de performance, o Audi Q5 ainda que competente, acaba por não esconder que faz uso do motor menos ‘atleta’ da família. Com isto queremos dizer que quando precisamos de motor para as recuperações, estas são um pouco morosas, mas não há milagres, pois o conjunto pesa mais de tonelada e meia e 2.0 litros com 150cv acabam por algumas vezes saber a pouco. Isso também se nota em algum ruído excessivo do motor diesel em esforço e, claro, nos consumos que por vezes são penalizados. Convém no entanto ser justo e se a proposta pretende um bom compromisso entre o desempenho normal em estrada, num SUV que na proposta de 2.0 litros a diesel, fica um pouco mais acessível, temos que encarar de forma positiva o desempenho global deste Audi Q5, pois ele é cumpridor. E depois, existe todo um fator emocional por parte de quem compra um Audi, que faz com que o amor próprio feche os olhos a esta ou aquela ‘imperfeição’.

Texto: Jorge Cabrita  Fotos: José Lourenço

Ficha Técnica Audi Q5 2.0 TDI 150cv

Motor: Diesel, 4 cilindros em linha, Injeção direta, Turbo c/intercooler
Cilindrada (cc): 1968
Diâmetro x Curso (mm): 81,0 x 95,5
Taxa de Compressão:16,2:1
Potência (cv/rpm): 150/3250-4200
Binário (Nm/rpm): 320/1500-3250
Transmissão/Direção: Dianteira, Caixa manual 6 velocidades/Eletromecânica com servo-assistência em função da velocidade
Suspensão (ft/tr): Eixo Multibraços
Prestações
0 a 100 km/h (s): 9,7
Velocidade máxima (km/h): 206
Consumos anunciados (Extra-urbano/Urbano/Misto) (lt/100km): 4,0/5,2/4,5
Dimensões e Pesos
Compr./Larg./Alt. (mm): 4663/1893/1659
Distância entre eixos (mm): 2819
Largura de Vias (ft/tr) (mm): 1616/1609
Travões (ft/tr): Discos ventilados
Bagageira (lt): 550 / 1550 com bancos rebatidos
Depósito (lt): 70
Pneus (ft/tr): 235/65 R17
Peso (kg): 1,660
Preço (€): 51,090