Chegados que estamos ao segundo contacto com um membro da linhagem CX-3 da ‘família’ Mazda, toca-nos em sorte a versão 4×4, sempre com o motor 1.5 Skyactiv-D. Embora a cor escura traga o ‘crossover’ da casa de Hiroshima para um ambiente menos exuberante, a verdade é que este 4×4 nos deixou muito boa impressão.

Existem modelos automóveis que marcam a diferença positivamente, ou pela estética, ou pelo desempenho, ou pela qualidade dos materiais, ou mesmo pelo caráter que assumem e que não passa despercebido a quem com eles se identifica. Assim é o Mazda CX-3, um crossover, remodelado recentemente, para estar ainda mais competente e capaz de se defender de uma concorrência forte como nenhuma outra. Sim, o segmento B dos SUV compactos está feroz, tanta é a qualidade e quantidade ‘ao alcance do freguês’. Mas, se a Mazda acertou em cheio nesta proposta, existem mercados onde algumas das suas versões sofrem imerecidos ‘castigos’, fruto das suas qualidades dinâmicas, mesmo se estas incrementam a eficiência e segurança. Sim, um 4×4 é sempre mais eficiente em qualquer tipo de estrada e, por esse e outros motivos, muito mais seguro. Aqui em Portugal, esta proposta da casa de Hiroshima é penalizada por uma lei que nunca mais cai de podre, pelo menos enquanto as contas das suas vantagens e desvantagens não forem feitas como deve ser. Enquanto isso, modelos como o Mazda CX-3 4×4 Skyactiv-D 1.5 Excellence Navi AT, que tivemos o prazer de testar, terão sempre vida bem difícil.

Discreta Elegância

Esta versão 4×4 do Mazda CX-3, num tom do mais escuro que há, não era tão exuberante esteticamente, mesmo se nesta tonalidade ganhavam particular realce as aplicações metálicas no contorno da grelha dianteira, nos frisos laterais, assim como as jantes num ambiente tendenciosamente desportivo. A proposta não é de facto a mais exuberante, mas ganha pontos fulcrais na elegância e classe com que se apresenta. Além disso, tira partido de estar na linhagem de um dos modelos mais bem conseguidos do design Kodo, facto que se comprova pela constante reação positiva de quem com ele se encontra na estrada.

Interior Requintado

Dentro de portas, o Mazda CX-3 consegue manter-se discreto, embora se faça notar alguma exuberância pelo facto de estar equipado ao mais alto nível, o que aqui é sinónimo de Excellence. Merecem claro destaque as inserções da pele nas portas, na consola central, além de obviamente nos bancos. No caso da versão ensaiada, a opção pela mescla de tons escuros com um elegante bordeaux, nunca cessa de nos encantar. Neste aspeto, sem dúvida que este japonês está ao nível mais alto do que até agora nos foi possível ver entre a sua concorrência. O espaço interior desta proposta, onde tranquilamente viajam quatro pessoas, ou cinco (apertando cabe sempre mais um), alia na perfeição a qualidade em detrimento da quantidade. Qualidade no design, elegante; qualidade na adoção de poucos mas bons/suficientes comandos; qualidade na insonorização; qualidade nos materiais, o que se nota logo que lhes tocamos; enfim, uma proposta com capacidade para vencer e convencer.

Tração a Quanto Obrigas

Só para posicionar as duas propostas a diesel da Mazda, no que concerne ao CX-3; a versão 4×2 (com o mesmo nível de equipamento) custa €28.990 (com caixa manual). A versão 4×4, com caixa automática e exatamente o mesmo nível de equipamento, ou seja a Excellence Navi, custa €34.928, ou seja, um acréscimo de cerca de €6.100.

É uma pena que assim seja, que esta versão seja tão penalizada por um imposto que já está mais que senil, mas que ainda faz muita mossa. Na comparação das duas versões, até porque já andámos com ambas, este 4×4 é claramente a melhor opção no capítulo dinâmico e sobretudo em termos de segurança. Colocar todos os ‘pratos’ 4×4 na balança, acaba por ser tão injusto quanto penoso, para as marcas assim como para o consumidor.

Em Estrada – ‘Kodo’lícia

Desculpem-nos a brincadeira com o português e a forma como casámos a filosofia Kodo com a palavra delícia. Mas, que melhor forma de expressarmos o agrado das sensações sentidas ao volante desta excelente proposta da Mazda para o segmento B dos SUV compactos?

Na sua essência, o CX-3 é um modelo que funciona dinamicamente. Para já, até porque há muito assumimos várias vezes ter essa postura, proporciona uma posição de condução perfeita, permitindo que nos coloquemos de forma adequada ao volante, potenciando o melhor centro de gravidade possível (bem baixo). Depois, na opção da caixa automática, mesmo os mais céticos desta acabarão por sorrir ao ver como nos conseguimos divertir na estrada, fazendo uso do modo sequencial, ou das patilhas no volante. Claro que este ‘crossover’ é um 4×4 para a estrada, pois os estradões onde pode circular estão longe de cumprir os requisitos de um todo-o-terreno. Ainda assim, é possível captar divertimento em percursos menos alcatroados.

Em estrada propriamente dita, esta proposta da Mazda evidencia-se pela sua enorme eficácia, enaltecendo as qualidades dinâmicas de um chassis bem nascido. O motor 1.5 é eficiente, reagindo bem e depressa até nos percursos mais sinuosos. É um garante de momentos de prazer ao volante, ao ‘devorar’ curvas e contracurvas com estonteante harmonia.

Aqui na OnWheelsTV somos assim, quando gostamos, é muito, ou então, não gostamos. O Mazda CX-3, na versão 4×4, é um evidente exemplo da injustiça que acaba por penalizar o justo (o modelo da Mazda) e o pecador (presente com mais ou menos intensidade em cada um de nós). É pena, não havia necessidade de castigar fiscalmente um automóvel tão completo!

Texto: Jorge Cabrita  Fotos: José Lourenço

Ficha Técnica Mazda CX-3 4×4 Skyactiv-D 1.5 Excellence

MotorDiesel, 4 cilindros, Injeção direta, turbo c/intercooler
Cilindrada (cc):1499
Diâmetro x Curso (mm): 76,0 x 82,6
Taxa de Compressão:14,8:1
Potência (cv/rpm): 105/4000
Binário (Nm/rpm): 270/1600-2500
Transmissão/Direção: Integral permanente, Transmissão automática 6 velocidades/Pinhão e cremalheira
Suspensão (ft/tr): McPherson/Independente
Prestações
0 a 100km/h (s): 11,9
Velocidade máxima (km/h): 172
Consumos anunciados (Urbano/Extra-urbano/Misto) (lt/100km): 4,9/5,6/5,2
Dimensões e Pesos
Compr./Larg./Alt. (mm): 4275/1765/1535
Distância entre eixos (mm): 2570
Largura de vias (ft/tr) (mm): 1525/1520
Travões (ft/tr). Discos ventilados/Discos
Bagageira (lt): 350/1260
Depósito (lt): 44
Pneus (ft/tr): 215/60 R16
Peso (kg): 1295
Preço (€): 34.928