Diferente e arrojado, o CH-R assume no presente linhas futuristas, ao mesmo tempo que personifica a aposta da Toyota em seguir pelo caminho dos híbridos. Experimentámos a versão Lounge do crossover nipónico, modelo que claramente nos seduziu, a vários níveis.

A Toyota já nos habituou, com alguns dos seus modelos, a um design irreverente que rompe conceitos e incute alguma tentação ao comentário polémico e voraz. Esse mesmo sentimento de opinar de forma quase que descontrolada, é latente quando confrontamos as ideias dos amigos e de quem de nós se aproxima nas sessões de fotos ou vídeo, relativamente ao contato visual com a proposta crossover de segmento C do construtor japonês. E a verdade é que não há meio termo no diz que disse sobre as linhas do CH-R. Ou se ama, ou o oposto! Mesmo dentro da equipa que constitui a OnWheelsTV, o consenso é para esquecer. Tenho que admitir. Sou dos que olha para este modelo e literalmente se deixa encantar.

As linhas são sedutoras, futuristas, mas muito consensuais no ato de radicalmente impressionar. O CH-R é exuberante, em toda a sua silhueta, plena de dinamismo. Embora se trate de um crossover, houve todo um cuidado em apurar este modelo com detalhes aerodinâmicos que quase o conotariam como um desportivo. Há outros detalhes também, que têm o condão de simplesmente encantar, como os puxadores das portas traseiras. E isso também conta muito no nosso olhar crítico, tendenciosamente positivo. Compraríamos esta ideia Toyota? Claramente sim!

Moderno e Intuitivo ‘Dentro de Portas’

Poder-se ia dizer que, ‘floreados’ à parte, o CH-R é simples no interior. Sim, tem um design moderno, consensual com o exterior, mas nada confuso, permitindo até uma fácil habituação e interação, com o condutor e ocupantes (da frente).

A consola central tem todos os comandos facilmente acessíveis e uma aparência bastante ‘clean’. O sistema de infotainmente é de fácil utilização, embora se note a ausência de funções como o MirrorLink e outras, para utilização com IOS ou smartphone. A qualidade dos materiais encanta, o mesmo não se podendo dizer da posição de condução, embora esta se torne agradável à medida que nos familiarizando com o dinamismo em estrada desta proposta da Toyota.

Embora as dimensões não sejam notáveis em qualquer crossover de segmento C, o CH-R proporciona boa habitabilidade aos passageiros da segunda fila de bancos, assim como dispõe de uma bagageira com boa capacidade. Também nos agrada o design e envolvência dos bancos dianteiros, que além disso são bastante confortáveis. Além disso vem mundido de algum equipamento para o conforto e segurança, ativa e passiva. A unidade testada ainda trazia alguns extras importantes, que acrescentam à nossa ideia positiva. As marcas não brincam em serviço quando se trata de captar a atenção dos media.

Em Estrada: Muito Giro

Fico sempre na expectativa quando vou andar com um híbrido da Toyota. Embora tenha o conforto de não ter mudanças, subtraídas por modos de condução, tenho que admitir que a opção se torna muito confortável ou muito pouco confortável, dependendo do desafio em estrada. Pouco confortável, convém dizer, apenas porque em esforço o motor de combustão torna-se por vezes demasiado ruidoso. Pronto, o contra está identificado.

Agora indo aos prós, são muitos. Ainda que preferíssemos uma posição de condução mais envolvente, acabamos por ficar agradados pela forma como nos adaptamos e deixamos encantar pela dinâmica do CH-R. Extremamente equilibrado, com um chassis que se anicha pelas curvas de forma irrepreensível, damos por nós divertidos e envolvidos numa condução que por muitas vezes se assemelha à de um desportivo. Depois, as dimensões compactas desta proposta fazem com que em estrada, autoestrada, avenida, rua ou ruela, seja sempre interessante que nos deixemos levar pelo dinamismo de um conceito que realmente funciona e nunca nos deixa aquém das expectativas. A condução nesta proposta da Toyota nunca é entediante, muito menos aborrecida. Além disso acresce ainda o facto de se tratar de uma proposta económica ao nível do consumo de combustível e esse é um detalhe que conta sempre muito.

Em breve, talvez o atrevimento nos leve a abordar esta proposta em vídeo, em respeito ao muito que fica por contar e ao outro tanto prazer que ela nos proporcionou.

Texto: Jorge Cabrita  Fotos: José Lourenço

Ficha Técnica: Toyota CH-R Hybrid (Lounge)

Motor:4 cilindros em linha; Injeção direta; ciclo Atkinson c/motor elétrico
Cilindrada (cc): 1.798
Diâmetro x Curso (mm):80,5 x 88,3,5
Taxa de compressão: 13,0
Potência (cv/rpm):122/5200 + 72 cv do motor elétrico
Binário (Nm/rpm):142/3600 + 163 do motor elétrico
Transmissão/Direção: Tração dianteira, Caixa automática CVT: Pinhão e cremalheira c/assistência elétrica
Suspensão (ft/tr):Independente tipo McPherson/Independente multibraços
Prestações:
0 a 100 km/h (s): 11,0
Velocidade máxima (km/h): 170
Consumos (Extre-urbano/Urbano/Misto) (lt/100 km):4,1/3,5/3,9
Dimensões
Comp/Larg/Alt (mm):4360/1795/1555
Distância entre eixos (mm):2640
Largura de vias (ft/tr):1540/1540
Travões (ft/tr):Disco ventilados/Discos
Bagageira (lt):377
Depósito (lt):43
Pneus (ft/tr):225/50 R18
Peso (kg):1380
Preço (€): 35.370 (unidade testada)