Fórmula 1: Verstappen Recebe “Asas” Para Vencer na Áustria

Max Verstappen venceu hoje o Grande Prémio da Áustria, perante o mar de holandeses que não enjeitou a oportunidade de ver o seu ídolo de perto. O piloto holandês ainda deu a alegria à equipa de vencer em casa própria.

0

 

E eis que quando a corrida parecia decidida e controlada pela Mercedes, o carro cinzento de Lewis Hamilton parou com problemas na pressão do combustível. Perante este imprevisto, Max Verstappen ‘ganhou asas’ no Red Bull, para vencer no ambiente laranja da pista austríaca, que hoje mais pareceu um laranjal holandês.

Max Verstappen venceu esta tarde a nona etapa da temporada de Fórmula 1, o Grande Prémio da Áustria. O holandês esteve bem na prova, a exemplo do que tem acontecido nas três últimas etapas disputadas no campeonato. Perante um autêntico mar de apoiantes, holandeses na maior parte, o jovem da Red Bull herdou a liderança a oito voltas do final, quando Lewis Hamilton reportou à sua boxe problemas na pressão de combustível do Mercedes W09, que o forçaram a um inesperado abandono. Com Hamilton fora da corrida, Verstappen limitou-se a gerir uma curta mas suficiente vantagem de 1,5s sobre Kimi Raikkonen, para concretizar uma saborosa e importante vitória.

Raikkonen concluiu na segunda posição uma prova em que esteve ao ataque, principalmente no início da corrida, quando ainda conseguiu colocar-se no meio dos dois carros da Mercedes. O finlandês foi sempre o melhor da Scuderia Ferrari durante a prova do Red Bull Ring. Aliás, os dois carros italianos estiveram muito bem, cabendo a Sebastian Vettel o derradeiro lugar do pódio. Aliás, ainda falando sobre Vettel, o terceiro lugar de hoje garante a liderança provisória do campeonato, com apenas um ponto de vantagem sobre Lewis Hamilton.

Esteban Ocon – Sahara Force India Mercedes

Haas, Force India, Sauber e Fernando Alonso, Todos em Alta

Todos estes acima referidos estiveram em grande hoje no Grande Prémio da Áustria. A Haas F1, mostrou mais uma vez o potencial do novo carro, além de se confirmar como uma equipa que evoluiu imenso desde a temporada passada. Com o abandono de Lewis Hamilton (Mercedes) na fase final da prova, Romain Grosjean subiu ao quarto lugar que conservou até final, sendo ainda seguido pelo seu companheiro de equipa, Kevin Magnussen, também hoje em evidência, consolidando a boa performance no fim de semana por parte dos carros da equipa americana.

A Sahara Force India também comprovou bons indicadores, logrando chegar nas sexta e sétima posições, com o francês Esteban Ocon na frente do mexicano Sérgio Perez.

Notável foi também a prestação de Fernando Alonso no McLaren com motor Renault. O espanhol, recém chegado de uma vitória nas 24 Horas de Le Mans, teve que iniciar a corrida das boxes, mas isso não o impediu de se mostrar em grande nível, para recuperar até ao 8º lugar final.

A Sauber foi a outra equipa que hoje em Red Bull Ring também esteve em muito bom nível, mostrando que tem alma nova desde que passou a vestir as cores italianas da Alfa Romeo e optou por uma dupla de pilotos que tem estado competente. Charles Leclerc, cada vez mais se vai mostrando como o homem que no futuro andará na luta pelas vitórias. O monegasco foi nono, vendo o seu companheiro de equipa Marcus Ericsson chegar atrás de si, para uma dupla posição pontuável dos carros da equipa chefiada por Frédéric Vasseur.

Mercedes Foi do Céu ao Inferno

Depois dos dois carros da Mercedes terem ontem assegurado a primeira linha da grelha de partida para o Grande Prémio da Áustria, hoje esperava-se mais um desempenho convincente dos carros entregues a Valtteri Bottas, autor da pole position, secundado pelo Campeão do Mundo em título, Lewis Hamilton. No entanto, hoje na Áustria, o que bem poderia ser uma vitória dançada ao ritmo da valsa, acabou por se tornar um pesadelo sem som, com ambos os carros a submeterem-se ao silêncio do abandono, da prova entenda-se. Valtteri Bottas foi o primeiro a ficar pelo caminho, após disputadas 13 voltas. O finlandês reportou à equipa problemas na caixa de velocidades. Depois, quando Hamilton tinha a vitória mais ou menos controlada, um problema de falta de pressão de combustível forçou o abandono. Antes disso, o britânico já se havia queixado, não de problemas no carro, mas de uma má gestão da equipa, que não o chamou para entrar na boxe quando estava ativo o Virtual Safety Car, na sequência da explosão no motor do Renault de Nico Hulkenberg e do abandono de Bottas. Na conclusão, por várias razões, esta é uma etapa do campeonato para esquecer, lá para os lados da Mercedes.

Texto: Jorge Cabrita  Fotos: Red Bull, Ferrari, Haas F1, Sahara Force India, McLaren, Sauber F1)