Chapter Three – “Deal With Pressure, Or Let It Eat You (rFactor 2)

 

Top_Five_FGiro_4

I’ve talked several times with drivers, most specifically with my special friend, Armando Goñes, about those tense final moments, before a race starts. The voice from the simulador speaker, on track, that prepares you for the race makes your heartbeat go skyhigh. There’s also the tension caused by that attempt, for a crazy maneuvre, a crucial one, and you are afraid to make that fatal mistake. Oh yes, guys. You just can’t avoid this. In a high level championship, depending on how you deal with this factor, you can completely change the outcome of your weekend.

To be very specific, I’ve already suffered a lot with this feeling and made too many mistakes because of it. Additionally, although this year I managed to be on pole position twice, I consider Qualifying as beeing my weakness. Most of the time, I can’t perform my best laps, because I am so nervous. It’s something very difficult to deal with, but believe me, the best way to approach this is to always think about what’s the best it can happen, instead of the worse. This will help you keep foccused and perform high precision tasks, easily and more efficiently. Tasks such as race starts and overtaking maneuvres.
Let me explain: starting a race below the top ten may increase the chances you get involved in a crash in turn one, right? Sure, but even so, that’s something that most of the time you won’t be able to control (we’ll talk more about that soon). So, just give it your best shot and remain foccused in your objective.

If you are able to manage your own midset, it may help you turn the pressure factor to your advantage. Here’s an example: a good strategy when battling for position is to try and induce your opponent to make a mistake. That can either cause a fatal mistake or small ones that tend to take your battle easier. Watch lap 38 of the FSR Pro Austin GP and you’ll know what I’m talking about ( https://youtu.be/esUyeeQQpQ8?t=1h51m31s – if that doesn’t work, push forward to 1: 51. 31).

It’s not a big deal, guys. We will never be able to control 100% that kind of pressure, but remaining optimistic and keeping our “cold blood”, we can turn this tension enigma to our advantage. Everytime you feel fear or uncertainty behind your wheel, shake your head, take a deep breath and tell yourself, “keep cool, everything will be fine.”

Text: Felipe Giro
Photo: Christopher Rabey (edited by Giro Artworks)

 

 

Versão Portuguesa

Capítulo Três – “Lide Com A Pressão, Ou Deixe-a Te Consumir” (rFactor 2)

 

Top_Five_FGiro_4

Já tive várias conversas com diversos pilotos, mais profundamente com meu amigo Armando Goñes, sobre os momentos de tensão que antecedem as largadas das provas. A voz no alto falante do circuito no simulador que caracteriza a virada de sessão para a corrida é algo que faz o seu batimento cardíaco se multiplicar inúmeras vezes. Ou então o nervosismo ao tentar uma manobra crucial durante a prova, que lhe enche de medo de fazer besteira. Pois é, senhores. Não tem como fugir disso. E em um campeonato de alto nível, dependendo de como você lida com esse fator, pode alterar o destino de todo o seu fim-de-semana.

Eu particularmente já sofri muito com esse tipo de pensamento e já fiz várias besteiras por causa disso. Além disso, apesar de ter feito duas poles esse ano, considero que minha maior fraqueza como piloto é a classificação, pois geralmente não consigo acertar as voltas dos meus treinos por conta do nervosismo. É algo muito difícil de se lidar, mas acredite: a melhor forma de se absorver este ambiente é sempre pensar no que pode acontecer de MELHOR, não de pior. Isso ajuda a manter a concentração e a executar tarefas de alta precisão com maior facilidade e segurança, como largadas e ultrapassagens.
Vou explicar melhor: largar da fora do top 10 pode representar um grande risco de se envolver em um acidente na primeira curva, certo? Claro, mas ainda assim, não é algo que está totalmente sob seu controle (falaremos disso em breve). Então sempre faça o seu melhor e foque sempre no seu objetivo.

Sabendo administrar a sua própria força mental, você pode usar o fator pressão ao seu favor. Por exemplo: uma boa tática em uma disputa de posição é o de tentar induzir o adversário ao erro. Isso pode tanto causar um erro definitivo do rival quanto a pequenos erros que tornarão sua batalha muito mais fácil. Assistam à volta 38 do GP de Austin da PRO de 2016 e saberão do que eu estou falando (Link: https://youtu.be/esUyeeQQpQ8?t=1h51m31s – se não funcionar, adiante para 1:51:31).

Não tem muito segredo, rapaziada. Nunca poderemos dominar essa área com 100% de maestria, mas com uma dose de otimismo e muito sangue frio é possível driblar o enigma da pressão com destreza. A cada vez que sentir medo ou incerteza atrás de seu volante, chacoalhe a cabeça, respire fundo e diga para si mesmo: “Calma que vai dar tudo certo.”

Texto: Felipe Giro
Foto: Christopher Rabey (editada por Giro Artworks)

 

x

Check Also

Chapter 4 – “Practice is Practice, Race is Race” (rFactor 2)

  This is a very complicated part and can represent a “cold shower” to a ...

Chapter Five – “This Is Not the Place For Hotlappers” (rFactor 2)

  Do you know that guy that everytime he enters to a server, asks for ...