O Audi Q2 é a proposta da casa de Ingolstadt para o segmento dos SUV compactos. Com linhas atraentes e a sobriedade tão intrínseca que normalmente é assumida pelos modelos da marca dos anéis, o Q2 sobressai também pelo desempenho, que nos dias em que dele pudemos desfrutar, nunca deixou de nos encantar. O motor diesel, de última geração no grupo VW, é outro dos enormes trunfos desta proposta, à qual poucos ficam indiferentes. Até porque a conjugação de cores que foi escolhida para o modelo testado não poderia ser mais feliz.

Desenhado Com ‘Feeling’

Existem modelos para os quais olhamos com mais atenção. Talvez pela marca, talvez pelo desenho, talvez pela forma como todos os traços funcionam e comunicam com as dimensões da proposta, ou talvez até porque de tal forma nos identificamos com ela, não dá para tirar o olhar. O Audi Q2 impressiona por, essencialmente, reunir dentro da beleza das suas linha, uma enorme consensualidade. Consegue ser atraente para homens ou mulheres, algo que é sempre de enaltecer.

Dentro de linhas compactas, ainda que volumosas, o que subentende espaço, o Audi Q2 tem enorme força no seu desenho. Senão vejamos: a frente é encorpada, com muita energia proporcionada pela enorme grelha que nunca abdica de ter em grande destaque o símbolo da marca, Reforçando toda a energia dinâmica da frente, estão as enormes entradas de ar nas extremidades do para-choques, que para maior impacto ainda surgem com uma ‘moldura’ cinza, ao estilo cromado. A frente do Audi Q2 é um belo exemplo de como se consegue criar uma ideia agressiva, com volume, em harmonia com um estilo de toque fino e elegante.
Os tempos são de valorização e aproveitamento de plataformas e a isso os modelos da Audi também não ficam indiferentes. Serve isto para dizer que o Q2 é, como tantos outros membros da família do Grupo VW, um orgulhoso utilizador da plataforma MQB. No perfil, este Audi não esconde ter as mesmas dimensões, por exemplo, do concorrente de segmento da VW, o T-ROC. Só que no caso do modelo da casa de Ingolstaft, aposta-se em linhas mais tradicionais. Fazendo uso de um design ‘clean’ mas com retoques de dinamismo, como os visíveis no volume das portas traseiras que quase funcionam como um leque que se abre, o Q2 ainda ostenta orgulhosamente tons diferentes no pilar C, que no caso da unidade testada eram num cinza que cai na perfeição no contraste com o azul do modelo. Além disso, a secção lateral deste crossover ainda ostenta volume e subentende espaço e conforto para ocupantes e sua bagagem.
O Audi Q2 é um daqueles modelos em que a secção traseira é feliz em termos de design. Embora se possa dizer que os traços do Q2 visto de trás são simples, também não deixa de ser verdade que é na simplicidade qe está a beleza. Nesta secção do automóvel, o ‘casamento’ entre o azul e os tons de cinza torna a evidenciar o bom gosto na escolha de cores, que se encaixam na perfeição com as óticas traseiras, quase que quadradas, o portão de mala em que o centro sobressai, sugerindo ao toque que o abre, ao mesmo tempo que assegura volume. O para-choques ao estilo proteção e de aparência desportiva é mais um toque de classe que acrescenta a uma proposta visualmente muito bem conseguida.

Interior Com Personalidade

Dentro do Audi Q2, percebemos que se trata de um membro da ‘família’ 3, onde a referência é o ‘mano’ de nome A. Elegância, conforto, espaço e materiais de primeira são qualidades que se vêm e sentem.

Como seria de esperar, este Audi, assume uma aparência sóbria e elegante dentro de portas. O segmento de mercado e público a que se destina ‘exige’ um design simples e funcional e tudo isso é conseguido nesta proposta. O tablier e consola central são desprovidos de floreados, apostando antes numa boa funcionalidade, em que devemos enaltecer a ótima disposição dos comandos que tornam a vida ‘a bordo’ muito agradável. Os bancos também não exibem luxos, como se prova pelo uso de tecido ao invés de pele. Mas, a qualidade de construção também neste elemento se valoriza, pela qualidade do ‘corte e costura’. Para o condutor, em última instância o alvo preferencial desta proposta, um volante muito bem posicionado, com bom ‘grip’, que torna a utilização desta Q2 viciante.
A marca de Ingolstadt apostou muito na funcionalidade desta sua proposta para o segmento dos SUV compactos. Por isso, além do Q2 assegurar conforto e espaço para os ocupantes, à frente e atrás, ainda disponibiliza uma bagageira verdadeiramente competente, de base assegura notáveis 405 litros, que podem crescer até aos 1050.

Motor Competente

Para motorizar esta proposta, na vertente diesel, a Audi apostou no bloco 1.6 TDI de 116 cv. A escolha é feliz, já que este motor é acima de tudo competente, com capacidade de resposta, economia nos consumos e um desempenho em que o podemos considerar razoavelmente silencioso.

O motor 1.6 TDI que dá vida a este Q2 disponibiliza 116 cv às 3250 rpm e 250 Nm de binário, disponíveis entre as 1500 e as 3200 rpm. Suave e competente, com uma grande faixa de utilização, fruto da otimização do binário, este Q2 necessita de 10.3 segundos para chegar dos 0 aos 100 km/h e atinge os 197 km/h. Em termos de consumo, a marca anuncia a média de 4,4 l/100km e nós registámos 5.2 l/100km, o que não é de todo mau.

Em Estrada – Dinâmica Eficiente

O Audi Q2 consegue assegurar elevado dinamismo em estrada. Divertido, mesmo para quem não seja um aficionado do comportamento desportivo dos crossover, este Audi deixou-nos saudades.

Competente é o termo que nos ocorre para definir o desempenho em estrada deste Audi Q2 1.6 TDI. O motor diesel de 116cv, não é propriamente o rigor do silêncio, mas o utilizador beneficia da excelente qualidade de construção do chassis e restantes materiais incorporados neste SUV compacto, para assim desfrutar de uma condução que é essencialmente agradável. Com boa capacidade de resposta, este bloco TDI garante ao Q2 o pulmão necessário para satisfazer no desempenho independentemente do tipo de estrada onde circulamos.
Embora se trate de um SUV compacto, que normalmente faz uso de uma maior altura ao solo na comparação com o convencional automóvel, este Q2 assegura um desempenho dinâmico que é muito eficiente em curva. A suspensão reage bem mesmo em pisos de menos qualidade (asfalto), trazendo ao condutor confiança e divertimento na utilização estradista. Com a possibilidade de ajustar o banco em profundidade, consegue-se obter uma notável posição de condução, que minimiza o efeito SUV, ao mesmo tempo que potencia as sensações dinâmicas transmitidas a quem está ao volante.

Conclusão

A Audi propõe-nos um Q2 com excelente imagem, qualidade de construção, notável conforto e um ambiente interior que não sendo de luxo encanta pela forma e funcionalidade. Para além disso, esta proposta ainda conta com um motor competente e que tem na economia de combustível um forte aliado.

Para adquirir este Audi Q2 1.6 TDI, os interessados terão que preparar à cabeça €31.840, aos quais terão que se adicionar mais algumas centenas, com base nalgum do equipamento que estava incorporado na unidade testada, que terá que ser visto como um extra. Ou seja, na comparação com as muitas ofertas existentes no mercado, para o mesmo segmento, o Q2 está a uma fasquia mais alta, no seu valor. No entanto, tratando-se de um modelo de uma marca dita ‘Premium’, que vem acompanhado de muita qualidade de construção, materiais, etc, teremos sempre que referir que o cliente desta proposta compra o carro por outras valias que não o preço.

Texto: Jorge Cabrita  Fotos: OnWheelsTV (Jorge Cabrita, Manuel Figueira)