Você está aqui
Home > Testes > Em Estrada > Teste Honda Jazz 1.3 i-VTEC: Surpresa Boa

Teste Honda Jazz 1.3 i-VTEC: Surpresa Boa

 

A Honda vem melhorando o Jazz à medida das suas necessidades, o que faz do pequeno utilitário nipónico um ícone, tal como o estilo musical que lhe dá nome.

Já lá vai o tempo em que Jazz era só nome de estilo musical para gente de ouvido sui generis e sensibilidade à parte. Desde que a Honda ‘pegou’ no termo para dar nome e a um dos seus modelos, fruto da qualidade da sua proposta, passou a haver dois tipos de Jazz. Testámos a mais recente versão do utilitário da marca nipónica e, mediante a imensa oferta, lembrámo-nos logo da obra prima de Bob Fosse.

Fiel à sua silhueta, o Honda Jazz mantém todos os atributos que lhe vêm granjeando sucesso e a aprovação de um público masculino e feminino, quando as suas linhas até poderiam eventualmente ser mais sugestivas para as mulheres. Faz uso da linha estética que acompanhou o Civic até ao lançamento da penúltima geração desse modelo e é bastante feliz na opção já que o desenho encaixa na perfeição nas linhas compactas de um automóvel que, não sendo grande, é inteligente no aproveitamento do espaço. O resultado final traduz-se num design moderno e alegre, um pouco desportivo até, pelas jantes exuberantes e os vidros traseiros escurecidos.

No entanto, é quando entramos para dentro do Jazz que percebemos, primeiro visualmente e depois na condução, tudo aquilo que este utilitário é e tem para proporcionar. Desde logo, a qualidade de construção está presente e sente-se, no abrir e fechar de portas e no manusear do equipamento interior, onde sobressaem os acabamentos em pele. A posição de condução, não sendo perfeita, é agradável e sobretudo obriga a uma postura sempre atenta na estrada, já que estamos um pouco altos.

Numa primeira análise a tudo o que rodeia o condutor, desde logo notamos um desenho que não pretende fascinar mas sim proporcionar boa funcionalidade. Num ambiente que é bastante prático, notamos as melhorias na comparação com a geração anterior. Os traços são modernos, a informação é simples e bem posicionada, os materiais melhoram na comparação com a geração anterior e há aquela ótima sensação de que tudo está onde deve estar. Painel de instrumentos conciso, no que diz respeito à informação, com dois tons que variam conforme se a nossa condução é poupadinha, ou não – com exibição de cor verde ou azul no velocímetro e informação clara, sem demasiados manómetros que só nos confundiriam. Na consola central está o sistema de navegação e multimédia de 7″, com tons vivos e extremamente intuitivo na operacionalidade. A caixa de velocidades, manual, não traz design de ponta ao Jazz, mas o que perde na estética ganha e muito no desempenho.

Para os restantes ocupantes destra proposta Honda, qualidade, espaço e conforto. Este Honda tem uma das melhoras quotas de habitabilidade do segmento. Aliás, com 1.525 mm de altura, mesmo passageiros mais esguios não terão queixas a apresentar ao viajarem, nem mesmo na segunda fila de bancos. Para além disso, o Jazz é bastante versátil, na forma como podemos posicionar os ‘bancos mágicos’, quase podendo comportar-se como um monovolume. A bagageira cumpre e é de acesso fácil, ou seja, completa uma oferta de espaço que é de referência no segmento.

“All That Jazz”

Aqueles que vibram com o estilo musical, Jazz, conhecem com certeza o tema imortalizado por Bob Fosse em fins dos anos 70 do século passado. Nós, depois de analisarmos de fio a pavio este Honda, logo nos lembrámos, não tanto pela música, mas pelo título, tanta é a oferta disponibilizada por este modelo que é muito mais que o que à primeira vista transparece. Neste particular, falamos concretamente de equipamento, coisa que não falta neste Jazz que pudemos testar. Ar Condicionado automático, bancos dianteiros aquecidos, 6 altifalantes para o sistema de som, que podemos também controlar no volante, entradas AUX, HDMI e USB, Honda Connect com écran touch-screen de 7″ e leitor de CD, rádio via internet, AM/FM, Aha Integrada, sensores de estacionamento e camara traseira, leitor de sinais de trânsito, travagem ativa em cidade, alerta de transposição de faixa de rodagem, enfim, uma parafernália de equipamento que o valoriza como proposta.

Em Estrada Reforça os Argumentos

Sujeito ao teste dinâmico da estrada, o Honda Jazz revelou-se uma agradável surpresa, no que ao desempenho diz respeito. Não tendo de todo impressionado em aceleração, revelando limitações em termos de resposta às solicitações do pedal da direita, acaba ainda assim por surpreender pela positiva, especialmente nos consumos. Este Jazz não é proposta para uma condução enérgica e, nas ultrapassagens, convém preparar com muita antecedência, pois reage lento e leva tempo a ganhar velocidade. No entanto, numa condução urbana mostra estar como peixe na água, agradável, confortável e muito funcional. Também se presta a viagens longas, com um bom conforto de rolamento, uma caixa bem escalonada e de agradável utilização e com boas médias de consumo de combustível (5,4 l/100 km).

A vocação do Jazz é o transporte familiar, onde se consolida como excelente proposta. Relativamente ao preço, posiciona-se acima de alguns concorrentes com boas quotas de mercado, mas uma referência é uma referência. Custa €21.500 (€20.500 com promoção).

Fotos: OnWheelsTV/Jorge Cabrita 

Honda_Jazz_22
Honda_Jazz_20
Honda_Jazz_10
Honda_Jazz_8
Honda_Jazz_16
Honda_Jazz_9
Honda_Jazz_11
Honda_Jazz_17
Honda_Jazz_18
Honda_Jazz_7
Honda_Jazz_26
Honda_Jazz_4

Ficha Técnica Honda Jazz 1.3 i-VTEC Elegance + Connect-Navi
Motor: Gasolina, 4 cilindros, injeção multiponto, 2 v.e.c. 16 válvulas Cilindrada (cc): 1.318 Diâmetro x Curso (mm): 73 x 78,7  Taxa Compressão: 13.5:1 Potência (cv/rpm): 102/6000 Binário (Nm/rpm): 123/1600-5000 Transmissão/Direção: Dianteira, caixa manual de 6 velocidades, direção pinhão e cremalheira, elétrica e assistida Suspensão (fr/tr): McPherson/Barra de Torção c/molas helicoidais Prestações: 0 a 100 km/h (s): 11,3  Velocidade Máxima (km/h): 190  Consumos (Extra-Urbano/Urbano/Misto) (l/100 km): 4,3/6,1/5,0  Emissões CO² (g/km): 116 Dimensões: Comprimento/Largura/Altura (mm): 3995/1694/1525  Distância entre Eixos (mm): 2530  Largura de Vias (fr/tr) (mm): 1.477/1466  Travões (fr/tr): Discos Ventilados/Discos  Bagageira (lt): 354-1314  Depósito (lt): 40  Pneus (fr/tr): 185/60 R15 Peso (kg): 1066
Preço (versão ensaiada): €21.500 (€20.500 com promoção)

 

Facebook
Twitter

 

Review overview
Sumário O Jazz reforça-se como uma das propostas de referência da Honda. Aqui na versão 1.3, o utilitário nipónico privilegia uma condução quotidiana para uso familiar, proporcionando ainda enorme versatilidade interior. A proposta é ainda enriquecida pela ampla oferta de de equipamento e pelos ótimos consumos de combustível. Fica apenas um pequeno senão para um preço não tão competitivo e alguma morosidade num desempenho mais enérgico.
4
Tags

Artigos Semelhantes

Top