Enquanto não chega a renovada opção de 136cv a partir de um motor diesel de 1.6 litros, fomo-nos entreter a testar a versão com a mesma cilindrada mas com 115cv. Tudo isto se encontra no Hyundai Tucson, que agora até tem novos ‘retoques de maquilhagem’.

A Hyundai tem nova imagem para o Tucson. Reforçando o estilo que tem garantido inegável sex appeal ao seu SUV mais bem sucedido, as maiores alterações no estilo estão no interior, mas globalmente a proposta corana apresenta-se agora bem mais consistente, ao mesmo tempo que em plena fase de maturidade. A marca pretende colocar o Tucson ainda mais como uma referência no segmento, num mercado em que a competitividade tem tanto de muita como de boa. A julgar pela imagem, funcionalidade interior e conforto proporcionado aos ocupantes, prevê-se mais um ‘capítulo de uma novela’ que tem tido boas audiências.

Detalhes Que Tornam a Personalidade Mais Forte

No ‘restyling’ aplicado ao Tucson, sobressaem nuances na frente e traseira, sendo estas menos visíveis no perfil onde praticamente nada mudou. Ao jeito conclusão, o Tucson está mais elegante, mais moderno e por isso mais competitivo.

Com uma linha bem mais futurista, o Hyundai Tuscon está elegante, moderno a agressivo. A grelha frontal continua de generosas dimensões, mas agora está em cascata, para trazer maior dinamismo à secção anterior do SUV coreano. Na frente, sobressaem ainda as novas óticas, quase idênticas às da versão anterior, mas como que maquilhadas com um traço dinâmico de LED, que lhes traz outro poder de atração. Os faróis de nevoeiro passam a não ser tão chamativos, espalhafatosos se preferirem, apresentando-se agora mas discretos, com um design mais ‘clean’, ou seja, mais de acordo com a nova filosofia estilística que a Hyundai adotou para este modelo.
Exceção feita às novas jantes, que trazem todo um outro dinamismo desportivo a esta proposta coreana, nada muda no perfil do Hyundai Tucson nesta nova roupagem. Também, convenhamos, não havia razão para mexer numa secção desta proposta em que tudo continua a funcionar na perfeição. Dinâmica e enérgica, através de jogo de linhas que aporta carácter, volume e apetência aerodinâmica, a secção lateral do Hyundai Tucson continua atual,
A traseira do Hyundai Tucson basicamente apenas difere da geração anterior no que diz respeito às óticas, que agora estão mais refinadas, embora praticamente com a mesma silhueta que antes. Mantém-se o aspeto musculado, que por um lado nos traduz o vigor de um SUV, por outro sugere alguma competência para um desempenho mais desportivo, pelo menos no aspeto.

Mais Atraente Por Dentro

Se as mudanças na estética do Hyundai Tucson são ao nível dos ‘retoques de maquilhagem’, já no seu interior se denota uma nova filosofia, um novo caminho no visual e funcionalidade.

No espaço amplo que já existia na versão anterior, os utilizadores do renovado Hyundai Tucson encontram uma secção frontal bem mais atraente, muito mais europeia e de acordo com o os padrões atuais de alguns dos seus mais fortes concorrentes. As áreas de ventilação do tablier passam a estar numa linha bem mais atraente e de todo menos exuberante que na geração anterior. Mais elegante é, na generalidade, o espaço interior do Tucson. O écran tátil no topo do tablier, ao estilo tablet (está na moda), substitui aquele que estava colocando no interior do mesmo, rodeado pelos ventiladores. Todo o desenho deste espaço está mais enérgico, elegante ao mesmo tempo. O condutor continua a dispor de um lugar confortável, com boa visibilidade e que ainda permite encontrar uma boa posição de condução, ainda que esta pudesse ser potenciada com melhor apoio lateral nos bancos.
Espaço interior não falta no Hyundai Tuscon e isso inclui uma bagageira que disponibiliza originalmente 513 litros. Com as diversas opções em termos de rebatimento dos bancos traseiros, a disponibilidade desta secção do Tucson pode achegar até aos 1503 litros.
O espaço interior é um dos trunfos do Hyundai Tucson. Os ocupantes da segunda fila de bancos desfrutam de conforto e de um ambiente acolhedor. Têm bom espaço para a colocação das pernas e a altura acima da cabeça está dentro do trivial no segmento.
Como é apanágio nas propostas do construtor coreano, o Tucson que testámos estava bem equipado. Assim sendo, contava com: Ar condicionado manual, Cruise control e limitador de velocidade, Espelhos retrovisores exteriores com regulação elétrica e aquecimento, Sistema áudio com rádio, porta USB e AUX, Bluetooth, Volante com ajustamento em altura e profundidade, Volante e alavanca da caixa de velocidades em pele, Sensores de estacionamento traseiros, entre outros equipamentos. Já no que diz respeito ao equipamento de segurança ativa, conta com: ABS com EBD, Airbags dianteiros (cond + pass), airbags laterais dianteiros e airbags de cortina (2 filas de bancos), Alarme periférico, BAS – Sistema de assistência à travagem, DBC – Sistema de ajuda em descidas, ESC – Controlo eletrónico de estabilidade, ESS – Luzes de stop de emergência, HAC – Sistema de ajuda ao arranque em subidas, TPMS – Alerta de baixa pressão dos pneus, VSM – Programa de gestão da estabilidade do veículo.

Em Estrada – Cumpre a Função do Conforto

No seu desempenho dinâmico, o Hyundai Tucson com motor 1.6 CRDi de 115 cv é essencialmente um SUV confortável. Pensado mais para a estrada que para fora dela, enquadra-se na filosofia geral para este segmento, acima de tudo com comportamento agradável e competente q.b..

Para analisarmos o dinamismo deste Hyundai Tucson, será sempre necessário primeiro percebermos o que dele esperar. Se a nossa opção se prende com uma proposta confortável, que traduza essa qualidade em estrada, para ser coerente com o conforto interior que já assegura, então temos que ficar satisfeitos com o resultado obtido por este Hyundai. A suspensão privilegia o conforto, com um curso considerável, o que faz com que quem viaja neste SUV se sinta por vezes numa limousine, tal a suavidade no desempenho, mesmo em pisos mais irregulares, de asfalto.
Para quem busque algo mais em termos de dinamismo na condução, o Hyundai Tucson acaba por se revelar um pouco incoerente com esse tipo de compromisso. Sem dúvida, o seu trunfo será o conforto. Em estrada, é impossível não constatar o adornar em curva, que por vezes se torna um pouco exagerado. O mesmo se pode dizer da forma como a frente mergulha em excesso nas travagens. Nada de exageros, o coreano é competente. No entanto, não terá dinamismo que assegure uma condução mais desportiva, algo que é possível encontrar noutras propostas do seu segmento.

Conclusão – Uma Questão de Pontos de Vista

Com imagem atraente, um interior que cumpre em todos os sentidos, bem equipado em termos de conforto e segurança, este Hyundai Tucson, aqui na versão 1.6 CRDi de 115 cv, é uma boa proposta, com um preço de €36.268.73.

Em estrada, em termos de prestações, garante 13,7s dos 0 aos 100 km/h, atingindo os 176 km/h. Os consumos são em média de 4,6 l/100km, os anunciados, já que na prática nunca baixámos dos 6,1 l/100km.

Texto: Jorge Cabrita  Fotos: Hyundai