A opção pelo 1.0 T-GDI no novo KIA Ceed revelou-se para nos a mais acertada, depois de testarmos todos os motores disponíveis para a 3ª geração do segmento C coreano. Com performance a todos os níveis, uma imagem sabiamente redefinida e uma relação qualidade preço que roça a perfeição, este é sem dúvida atualmente um dos mais apetecíveis modelos no seu segmento.

Há poucas semanas, já tínhamos tido oportunidade de testar o novo motor a gasolina (uma de duas novas motorizações), estreado com a série 3 do KIA Ceed, que agora se escreve sem apóstrofo. As indicações deixadas pelo 1.4 T-GDI, deixavam antever que, talvez fosse essa a motorização ideal para um automóvel com 1.222kg. No entanto, depois de testarmos a outra motorização a gasolina, correspondente ao 1.0 T-GDI de 120cv, acabámos por perceber porque razão é este motor que mais cativa clientes, nos modelos da casa coreana em que já está disponível. Ainda que numa análise superficial e meramente de suposição, o motor 1.0 fique atrás da proposta 1.4 (com 140cv), a verdade é que na prática os desempenhos são muito idênticos, o que acaba por valorizar o motor mais ‘pequeno’ que assim se revela grande.

Imagem de Futuro Campeão

Atual, apelativo e interativo são argumentos que encaixam na perfeição no novo KIA Ceed. Com imagem cuidada e elegante, não há uma idade propriamente definida entre o público alvo da mais recente geração da proposta coreana para o segmento C. Até porque o único elo que liga todos aqueles que se deixam seduzir por esta proposta é a sua mentalidade, jovem e de bem com a vida.

A mais recente geração Ceed aposta em linhas atraentes, trazendo muita da sua inspiração de modelos como o Stinger, do qual se extraem alguns elementos da frente, como a grelha ‘tiger nose’ e as entradas de ar nas extremidades do para-choques, onde também se encontram os faróis de nevoeiro.
A linha de cintura do novo Ceed é horizontal, em contraste com a da geração anterior, em cunha. Este ‘detalhe’ faz com que o Ceed tenha um perfil mais musculado, de acordo com o que existe nalguns dos ‘monstros’ de vendas no segmento, com os quais pretende rivalizar. Está também ligeiramente mais baixo, o que ajuda a uma imagem de incrementada agressividade no desenho.
A traseira tem músculo, assegurado por óticas de grande volume, em LED e um portão de mala encorpado que engloba a placa de matrícula, algo que também é novidade na comparação com a geração anterior. O para-choques também ajuda ao dinamismo da traseira, com as ‘supostas’ entradas de ar que incorporam as luzes de nevoeiro e a saliência da parte inferior, ao estilo ‘fundo plano’.

Interior com Visual e Qualidade Melhorados

Dentro do novo Ceed, como na generalidade das mais recentes produções da KIA, vive-se um ambiente sóbrio, onde sobressai o desenho atrativo e a qualidade do equipamento, seja no capítulo do conforto como da funcionalidade.

Por dentro, o KIA Ceed é atraente e prático. O tablier e consola central estão essencialmente dedicados e ‘atentos’ ao condutor. A qualidade dos materiais e acabamentos sobressai, nos bancos em pele, nas aplicações cromadas do tablier e consola central e num desenho global que verdadeiramente nos impressiona. Mas esta proposta não encanta só exteriormente, como faz da sua funcionalidade interior um dos mais fortes trunfos. A isso não ficam indiferentes as quotas de habitabilidade interior, com excelentes valores no que diz respeito ao espaço, que na segunda fila de bancos é dos melhores no segmento.

Motor Que Se Impõe Pela Competência

A unidade testada corresponde ao motor 1.0 T-GDI de 120cv. Trata-se de uma solução que, se inicialmente gerou desconfiança, tem-se vindo a revelar brilhante no desempenho, a todos os níveis. Hoje em dia, nos modelos em que está disponível, o bloco de 1 litro da KIA é o alvo privilegiado dos clientes.

Nos dias de hoje, o motor 1.0 T-GDI tem créditos firmados entre as opções para dar ‘pulmão e músculo’ a um automóvel, da KIA. Com 120 cv obtidos às 6000 rpm e um binário de 172 Nm, disponível entre as 1750 e as 3200 rpm, esta é realmente uma proposta competente, mesmo para um automóvel com 1222 kg de peso, sem contar com passageiros e carga. Em estrada, tem competência para chegar dos 0 aos 100 km/h em 11,1s, atingir os 190 km/h e assegurar médias de 5,4 l/100km. Nas nossas mãos, a média obtida foi de 6,5 l/100km, o que nos agradou sobremaneira, tendo em conta que, devido ao calor nos dias em que testámos esta unidade, fomos sempre forçados a utilizar o ar-condicionado.

Nível de Equipamento TX? Nem Vale a Pena Pensar Noutro!

Tal como vem sendo a política corrente da KIA, também em Portugal, optou-se por apenas ter disponível o nível de equipamento TX para este modelo. Tal deve-se ao facto de a versão TX estar bastante competente no que diz respeito ao equipamento disponível e ao seu preço.

Além de existirem detalhes importantes no equipamento interior do KIA Ceed, como os bancos em pele, aquecidos e ventilados, esta proposta ainda vale por incluir: um magnífico sistema de som JBL, écrans de 7″ e 8″, TomTom Live para sistema de navegação, Android Auto , Apple CarPlay, carregador sem fios, máximos automáticos, sistemas de segurança e ajuda à condução, como o alerta de colisão frontal, previsão de colisão frontal com reconhecimento de peões e ciclistas, alerta de trânsito cruzado, alerta de transposição de faixa, avisador de fadiga do condutor, ‘Lane Following Assist’ (nível 2 de condução autónoma), Cruise Control inteligente com Stop&Go, assistência ao estacionamento e ainda a monitorização do ângulo morto (traseira).

Em Estrada – Nunca Desilude e Encanta Com Frequência

Salvaguardadas as devidas proporções, ou seja trata-se de um motor de 1 litro, com turbo, num automóvel com mais de 1200 kg e pensado para até cinco pessoas. Dito isto, analisando o seu desempenho nos vários dias que o tivemos nas nossas mãos, este KIA Ceed 1.0 T-GDI poucas vezes não nos impressionou positivamente!

Devo desde já dizer que, em termos gerais, fico mais convencido com a competência dinâmica deste KIA Ceed com o motor 1.0 que com a opção 1.4 T-GDI. Eu sei, pode parecer estranho, mas após andar com as duas propostas, não notei assim tanto uma diferença substancial no desempenho que justifique a opção pelo motor mais potente, em 20 cv. A missão do 1.0 T.GDI é ter performance q.b. e por isso subentende-se economia nos consumos, capacidade de resposta em aceleração e conforto no rolamento. Tudo isso é conseguido nesta proposta, embora em termos de consumo este KIA ainda tenha que evoluir para chegar aos registos de alguns dos seus concorrentes, oriundos da Alemanha.
Se tivesse que escolher uma expressão que definisse o meu sentimento geral ao volante deste KIA Ceed, a escolha óbvia seria – boa disposição. Não se tratando de um desportivo, este Ceed com motor de 1 litro é equilibrado e eficiente em curva, com uma suspensão que consegue ter algum caráter desportivo, sem nunca comprometer o conforto. Esse conforto também sai reforçado pela qualidade de rolamento e ótima insonorização deste KIA, que nos permite no seu interior desfrutar totalmente do comportamento e da viagem. Além disso, sempre que nos apeteceu ter alguma infantilidade na estrada e vestir o fato do pseudo piloto, ainda que tenhamos notado que o motor chega lá mais com calma, agradou-nos a capacidade e resistência dos travões.

Texto: Jorge Cabrita  Fotos: KIA