Com imagem forte, caráter expressivo e dinâmica competente, o Mazda CX-5 propõe-se na versão de tração integral, a melhor de todas as disponíveis no nosso país.

Os gostos não se discutem, inclusive quando nos referimos à estética dos modelos desta ou daquela marca. Ainda assim, acho que é seguro referir que, se a Mazda foi extremamente feliz com o estilo da sua mais recente geração automóvel, provavelmente é no CX-5 que a força de uma imagem única e distintiva mais se expressa. É também seguro dizer que a mais recente geração do SUV da casa de Hiroshima é aquela que mais sentido dá à geração KODO.

Do ponto de vista comercial, penalizada por se tratar de uma opção AWD (All-Wheel Drive), esta proposta 2.2 que aqui lhe trazemos será sempre a mais dispendiosa. Mas, mesmo assim, será sempre a mais interessante de todas as opções à disposição de quem, em Portugal, pretenda adquirir este que é um dos mais apelativos modelos em toda a gama atual da Mazda.

Majestoso e Exuberante

Desde logo, porque como sempre começamos a nossa análise pela estética, convém dizer que estávamos a centenas de metros de chegar à Hydraplan, concessionário da Mazda em Alverca que guarda escrupulosamente as unidades do parque de imprensa da marca japonesa no nosso país e, desde logo entre vários modelos que já conseguíamos vislumbrar, se destacava um CX-5, não só pelas linhas imponentes, mas também pela irreverente tonalidade proporcionada pelo acabamento em Vermelho Soul Red Crystal, correspondente a uma de várias opções para tons que se destacam, nesta nova geração do SUV. Calhou bem, era mesmo esse que esperava por nós para ser sujeito a um Teste. A aventura no CX-5 não poderia, por isso, ter começado melhor. Convém referir que, por causa da teimosia da chuva em se manter na nossa companhia, apesar de estarmos praticamente no verão, acabámos por ter que usar fotos oficiais, mas da versão com o mesmo acabamento VSRC.

A frente é o ponto forte na estética deste CX-5. Marcada pela enorme grelha dianteira, com o logo Mazda bem no centro, esta secção do SUV nipónico é envolvente, pela energia que emana de traços vigorosos mas extremamente ‘clean’. A grande grelha une-se com os faróis LED e evidencia toda a majestosidade deste modelo. Os faróis, incluem luzes de circulação diurna.
O perfil do Mazda CX-5, confirma a ideia de que se apostou num design que tem tanto de elegante como de limpo, exuberante sem ser espampanante. Comparativamente com a geração anterior, o mais recente CX-5 tem cintura mais baixa, o que ajuda a uma maior elegância. Embora se trate de um SUV com 4550mm de comprimento, as suas linhas evidenciam dimensões subtis.
Desde logo nos deixamos impressionar pela traseira, que se apresenta vigorosa. Trata-se de um espaço sem vértices, quase que sugerindo uma ideia de coupé. Agrada também o spoiler, que vem quebrar a rotina de elegância, aportando uma abordagem mais corporal, musculada. Essa mesma abordagem é também reforçada pela duas ponteiras de escape. O design das óticas traseiras , é outro ponto forte, já que o seu estilo leva-nos para uma identidade asiática.

Qualidade Irrepreensível

Dentro do Mazda CX-5, mais do que um SUV espaçoso, encontramos elegância, conforto e uma expressa qualidade, visível no estilo, acabamentos e nos materiais escolhidos por quem concebeu este Sports Utility Vehicle. Embora a versão AWD sugira uma maior liberdade de utilização, para estrada e fora dela, a verdade é que o requintado ambiente interior sugere que nos mantenhamos por estradas de bom piso.

Dentro do Mazda CX-5 respira-se num ambiente sóbrio, que prima pela elegância e suavidade de linhas. Com o ADN característico da atual filosofia do construtor sempre presente, deparamo-nos com um tablier e consola central de aspeto atraente e funcionalidade asseguradas por uma inteligente disposição de todos os comandos que nos permitem interagir com o SUV nipónico. A posição de condução proporcionada é excelente, facto possível não só graças ao ótimo posicionamento do volante, como também nos comandos disponíveis na continuidade da consola central, que surge numa posição elevada, permitindo que sem nenhum esfoço possamos manipular a caixa (automática com modo sequencial), assim como todas as funções do sistema de infotainment MZD Coonect, este também extremamente bem posicionado, com écran de 7″. Referência também para o apurado som proporcionado pelo sistema BOSE.
Para acrescentar à enorme qualidade interior que se vive no Mazda CX-5, o construtor nipónico apostou em bancos de ergonomia envolvente que asseguram notável conforto. Mas, o conforto proporcionado é extensível aos ocupantes do banco traseiro, que nem se quer se podem queixar de falta de arrumação para alguns objetos, ou até mesmo da possibilidade de eliminar o assento do meio, para utilizar um apoio de braços que também é suporte para copos, smartphones ou pequenos tablets, onde nem sequer a presença de portas USB foi esquecida. Depois há ainda o requinte que faz parte integrante das escolhas numa vasta gama de modelos do construtor, em que podermos contar com o ‘head-up display’, que acrescenta ainda mais conforto e segurança à condução, já que sem tirar os olhos da estrada, conseguimos controlar importantes dados úteis no exercício da mesma.
O Mazda CX-5 é notável também no que concerne a uma ampla utilização do seu interior, incluindo na oferta de conforto e espaço. Desde logo e, começando pelo fim, a bagageira é generosa, inicialmente proporcionando 506 litros de capacidade, além de contar com vários apetrechos para melhor acomodação da bagagem, como ganchos e redes de retenção . Depois, o acesso à mesma faz-se por portão de acionamento elétrico, detalhe que deve ser enaltecido já que, caracteristicamente, os portões de mala nos SUV são coerentemente pesados. Além disso, através de uma boa amplitude na configuração dos bancos traseiros, é possivel optar por várias configurações, incluindo a inclinação das costas dos mesmos (até 28º).

Segurança e Desempenho Convincentes

Bem mais vocacionado pera um eficaz desempenho em estrada que para as radicais aventuras em 4×4, este Mazda CX-5 de tração integral permite ainda assim algumas brincadeiras a quem não resiste aos estradões de terra. Em estrada ou fora dela, o conforto está sempre presente.

Em estrada, este SUV tira partido dos 175cv do bloco 2.2 Skyactiv-D para chegar dos 0 aos 100 km/h em 9,5s, atingir uma velocidade máxima de 206 km/h e fazer médias de combustíveis (oficiais) de 5,8 l/100 km, embora nas nossas mãos, nunca tenhamos baixado dos 7.0 l/100.

Embora se trate de upa proposta 4×4, com as dimensões adequadas a um veículo de espírito aventureiro, o Mazda CX-5 acaba por ter na estrada o seu piso de eleição. A partir de uma posição de condução elevada, na comparação com um automóvel digamos que normal, fazendo uso de uma mecânica extremamente competente, quem está ao volante deste SUV pode contar com competência dinâmica, seja no que ao conforto diz respeito ou referindo às suas qualidades mecânicas. Moderno, este Mazda proporciona ainda a utilização de sistemas de ajuda à condução que tornam o seu desempenho ainda mais aliciante. Falamos de ajudas como o Mazda Radar Cruise Control com função Stop&Go ou ainda as opções da tecnologia i-ACTIVESENSE, onde se inclui o Lane Keep Assist System (LAS), Advanced Blind Spot Monitoring com Rear Cross Traffic Alert (ABSM e RCTA), Driver Attention Alert (DAA) e Lane Departure Warning System (LDWS). Todos estes sistemas acrescentados a outros, também presentes nesta versão 4×4 (4W-ABS, EBD, Brake Assist, DSC, TCS, ESS e HLA), fazem com que a proposta de segurança ativa e passiva deste Mazda seja mais que competente.
Sem nunca renegar que o peso (1535kg), associado a um comprimento de 4550mm e uma altura de 1680mm nunca propiciam um comportamento de absoluta agilidade ou aceleração, nestes dois capítulos, o Mazda CX-5 AWD acaba por impressionar pela positiva. Com a tração integral, este SUV reage bem às acelerações, embora uma sugestão repentina do acelerador não disfarce algum ruído do motor nas mudanças mais baixas. Ainda assim, gostamos do compromisso que foi obtido para esta proposta. Em curva, obvio que adorna um pouco, mas isso também permite valorizar o compromisso de conforto. Afinal, de que valeria tanta qualidade no interior, em que se proporcionam autênticas ‘poltronas e sofá’, se depois isso não se traduzisse em suavidade na dinâmica.

Texto: Jorge Cabrita  Fotos: Mazda

REVIEW GERAL
Mazda CX-5 2.2 Skyactiv-D 175cv AWD
Artigo anteriorNASCAR: Pacote Aerodinâmico Será Repensado Para 2019
Próximo artigoNASCAR: Kyle Larson na Pole em Sonoma