Não estamos a querer tirar protagonismo ao filme brilhantemente realizado e protagonizado por Roberto Benigni, até porque a história deste clássico é bem triste e melancólica. Quisemos sim, prestar a justa homenagem a um título que pressupõe um ambiente bem mais alegre, de bem com a vida. Foi isso que sentimos, aos comandos do Volkswagen T-ROC.

Imagem não falta ao Volkswagen T-ROC, modelo que continua a resistir a algumas tentações, mantendo-se na linha de montagem da Auto Europa (Palmela). Por isso, na hora de efetuarmos o teste a este modelo, o primeiro do universo SIVA na OnWheelsTV, decidimos ir até à Serra da Arrábida. Num ambiente de sonho, com um automóvel de inegável apuro estético, faltava algo que realmente tornasse este um cenário perfeito. É aí que entra a modelo Carina Lopes.

Não perca, amanhã na OnWheelsTv @lourencojose @carinna_l #lourencojose

A post shared by OnWheelsTV (@onwheelstv) on

Traços Marcantes Para Uma Imagem Única

Tornar a opção de uma proposta de segmento médio em algo que nos faça transbordar energia positiva, poderá ter sido uma das motivações da Volkswagen, ao introduzir o T-ROC como a sua aposta para o segmento dos SUV compactos, crossover se se preferir. Estamos a falar de um modelo que utiliza a mesma plataforma do Volkswagen Golf. Ainda que o popular modelo germânico, já dentro do universo ícone, nada tenha a temer dinamicamente deste crossover, o T-ROC marca significativos pontos no capítulo da imagem.

É difícil alguém ficar indiferente ao T-ROC. Modelo de dimensões compactas, mas com alguma altura, destaca-se pelas linhas enérgicas e traços fortes. A frente mostra toda a força da imagem deste modelo, largo e musculado, como se pode ver pelas cavas das rodas que lhe asseguram porte atlético. As óticas anicham-se na perfeição numa grelha dianteira de enormes dimensões. A parte inferior da dianteira está cheia de detalhes ricos, como as entradas de ar que sobressaem em baixo das óticas, cercadas por uma ‘sobrancelha’ de luz LED, ou ainda a proteção ao estilo metálico no para-choques.
É no perfil que está expresso todo o dinamismo estético do Volkswagen T-ROC, que joga na perfeição com as cores escolhidas para a versão que nos coube em teste. A cor é perfeita, ou não fosse a mesma que a marca escolheu para muitas das campanhas publicitárias atualmente em vigor. Desenhado com paixão, este crossover assume enorme requinte e uma personalidade muito própria, que encanta a um público masculino e feminino e sobretudo, jovem. Podemos perceber pela silhueta, que não terá a mesma amplitude interior que outros modelos do mesmo segmento, mas a imagem também conta e dificilmente compramos um carro se não o acharmos bonito.
A secção posterior do Volkswagen T-ROC mantém o exercício de irreverência, com classe que está presente em toda a sua silhueta. Traços limpos que se misturam com detalhes dinâmicos e enérgicos, como sejam o discreto spoiler traseiro e o irreverente para-choques, que pressupõe aptidão para a aventura em fora-de-estrada.

Interior Que Encanta

A coerência é sempre bem vinda e está presente em toda a linha no Volkswagen T-ROC. Na versão Style que pudemos testar, mantém-se dentro de portas toda a energia que os designers da marca incorporaram na linhagem deste modelo.

Requinte é a palavra que nos ocorre, sentados para conduzir este T-ROC, à medida que contemplamos o ambiente que nos rodeia. O tablier e consola central, exultam cor, a mesma do exterior, o que não deixa de ser um tónico à nossa boa disposição. Os materiais são de excelente qualidade e agradam ao toque. Estão também dispostos de forma inteligente para potenciar o nosso desempenho ao volante. Nem mesmo as filas de trânsito representam momentos de tédio no T-ROC, pois basta olhar para o requintado espaço interior, ou até mesmo para as portas, ricas em detalhes luminosos que nos transportam para um ambiente muito ‘cool’, ao estilo ‘lounge’.
Além de elegante, crossover com muita classe, o T-ROC que aqui vos apresentamos vem muito bem equipado. Há que ter em linha de conta, no entanto, que uma significativa parte do equipamento incorporado neste Style que testámos era opcional. Eis o equipamento opcional nesta versão: Pintura especial; Jantes em liga leve de 18″; Faróis dianteiros em LED; 2 entradas USB; Pacote Style Plus; Barras de tejadilho cromadas; Bagageira elétrica; Vidros traseiros escurecidos; Inserções decorativas em Amarelo Kurkuma; Retrovisores exteriores rebatíveis eletricamente; Bluetooth confort com carregamento por indução; Active Info Display; App Connet e Sistema de proteção proactiva dos passageiros – tudo no valor de €5.132.

Em Estrada – Divertido

Com linhas vistosas e enérgicas, o Volkswagen T-ROC pede estradas que enalteçam as suas qualidades dinâmicas. Já nós, quisemos mesmo foi ir para a Serra da Arrábida, que une na perfeição o cenário natural de sonho e as estradas de montanha, de muito bom piso e muitas curvas. Ainda que este crossover seja um pouco alto para um desempenho desportivo, acaba por cumprir totalmente as nossas exigências. Com um chassis bastante equilibrado, insere-se em curva na perfeição e denota equilíbrio. Ainda que em estradas muito técnicas tenha sido necessário recorrer muito aos travões, não denotámos fadiga. A versão utilizada contava com caixa manual de 6 velocidades, da qual enaltecemos a facilidade de utilização, precisão e extrema suavidade.
Durante todo o teste dinâmico a este Volkswagen, concretizado durante centenas de quilómetros, nunca baixámos dos 6,7 l/100km, o que sai um pouco dos 5,1 apregoados pela marca. Nada de grave, os 6,7 acabam por ser apetecíveis, se pensarmos que se referem à performance com um motor a gasolina. Já no que diz respeito às prestações dinâmicas do 1.0 TSI de 115cv, a velocidade máxima está registada nos 187 km/h, necessitando de 10,1s para chegar dos 0 aos 100 km/h.

Conclusão – É para Quem Sabe O Que Quer

Como todos ao automóveis, o Volkswagen T-ROC tem virtudes e defeitos. A estética está entre as suas inegáveis virtudes. Trata-se de uma proposta de muito bom gosto, que consegue como muito poucos ser agressiva e suave, com um estilo que dificilmente nos deixa indiferentes. No capítulo dinâmico também se evidencia pela positiva. Não conseguirá argumentar com o dinamismo de um Volkswagen Golf, mas consegue ser apelativo ainda assim, divertindo na estrada e até mesmo fora dela, ‘safando-se’ muito bem em estradões de terra.

O seu senão é mesmo a habitabilidade no interior, já que comparado com alguns dos seus concorrentes, acaba por se revelar tímido no espaço disponível. Mas, a vontade e decisão ficam para quem compra, até porque esta é uma proposta que procuramos, não pelo espaço, mas sim pelo caráter. Custa, na versão base, pouco mais de €26.000. O custo da versão ensaiada é de €31.168.

Fotos: José Lourenço  Modelo: Carina Lopes

Carina Lopes – “Adorei a Experiência”

Desta vez quisemos fazer diferente. A OnWheelsTV é um projeto de comunicação do mundo automóvel e as pessoas fazem parte neste processo. As produções com modelos, de ambos os sexos, serão uma ferramenta de muitas que aqui utilizaremos. Somos orgulhosamente, um projeto diferente.

A Carina Lopes foi a modelo que achámos seria perfeita para participar no nosso Photoshoot para o Volkswagen T-ROC. Aos 33 anos, a modelo natural de Almada, assume a sua paixão pelo Volkswagen fabricado em Palmela. “É um automóvel com que sempre me identifiquei e que gostaria de experimentar no lugar de condutora, algo que não foi possível hoje”, disse Carina Lopes. “Gosto das linhas, é um crossover muito alegre, como eu. Além disso é confortável”.

O Volkswagen T-ROC é mesmo uma das paixões de Carina Lopes, que gosta de praticar desporto, comer Sushi e ouvir o som dos Muse.

Fotos: José Lourenço