WRC: Ogier Vence no México

0

 

Sébastien Ogier venceu hoje o Guanajuato Rali do México, 3ª etapa do ano no FIA WRC. Com esta conquista, a 42ª da carreira – 4ª no México -, Ogier assumiu a liderança no campeonato, o que quer dizer, tudo voltou ao normal dos últimos anos.

O francês, aos comandos do Ford Fiesta WRC da M-Sport Ford World Rally Team, havia chegado ao derradeiro dia com uma confortável vantagem de 35,9s sobre o segundo classificado. Naturalmente, nas derradeiras três especiais, Ogier limitou-se a gerir a confortável vantagem, para chegar a Léon como vencedor da prova, o que viria a conseguir.

“Estou super-feliz hoje e esta vitória é uma forma fantástica de eu e o Julien (Ingrassia) festejarmos o nosso 10º aniversário no FIA WRC”, disse Sébastien Ogier. “Tudo começou em 2008 com uma vitória na categoria Júnior e tantas coisas boas aconteceram desde então. Para mim, esta é uma das melhores vitórias.

Este fim-de-semana realmente demos o nosso máximo. O Julien esteve perfeito e a equipa mesmo muito forte. Esta vitória é imensa, mas foi a performance que realmente me agradou. Evoluímos muito desde o ano passado e isso permite-nos encarar o resto da temporada de forma positiva.

Este fim-de-semana andámos sempre no limite. Quando partimos cedo para a estrada, estamos sempre a dar o máximo, mas acabamos longe dos outros, o que é sempre frustrante. Mas, temos que continuar a dar o máximo. Foi isso que fizemos no segundo dia, quando a nossa posição de saída para a estrada se tornou mais favorável”.

Dani Sordo

Dani Sordo concluiu na 2ª posição. O espanhol teve um desempenho notável no México, mostrando-se muito competitivo no Hyundai i20 WRC. No derradeiro dia de prova, ainda teve um susto, dando um toque com a traseira e furando. Mesmo assim, conseguiu garantir o 2º lugar, na frente de Kris Meeke. O britânico da Citroën também errou no derradeiro dia, ao sair de estrada com o C3 WRC. Teve sorte no entanto, pois o público presente ajudou-o a regressar à prova, para concluir em 3º.

Andreas Mikkelsen foi 4ª, com o Hyundai i20 WRC. O norueguês concluiu a prova a 19.2s de Meeke, após se debater durante todo o rali com dificuldades de afinação no Hyundai, acabando mesmo por chegar a Léon sem nunca se ter entendido com o setup.

Sébastien Loëb, regressado ao WRC este ano para umas quantas presenças em provas, mostrou aos comandos do Citroen C3 WRC que continuam intactas todas as suas qualidades como piloto. Venceu troços, chegou a liderar a prova e, não fosse um embate numa pedra e o consequente furo a atrasá-lo na classificação, poderia ter sido ainda mais surpresa. Grande prestação do alsaciano, para a qual o 5º lugar final sabe a muito pouco.

Thierry Neuville foi 6º, ajudando a construir um bom resultado final para a Hyundai Motorsport. O belga foi penalizado pelo facto de ter que abrir os troços e além disso, também não evitou um par de erros.

Jari-Matti Latvala foi 7º, o melhor – menos mau se preferirem – da Toyota Gazoo Racing, deixando-se inclusive bater na classificação pelo melhor da classe WRC2. A Toyota Gazoo Racing, sofreu muito no México, a exemplo do que já havia sucedido em 2017. O Yaris WRC decididamente não se dá bem com os ares mexicanos. O outro carro da Toyota que conseguiu chegar ao fim, fê-lo em 11º, pelas mãos de Esapekka Lappi.

Pontus Tidemand Imparável

O sueco já havia dominado na classe nos dias anteriores e, nas derradeiras classificativas, limitou-se a levar o Fabia R5 da Skoda Motorsport até ao fim, para vencer confortavelmente a classe WRC2.

Atrás de si, a mais de 7 minutos, ficou Gus Greensmith num Ford Fiesta R5, seguido do chileno Pedro Heller, noutro carro da marca norte-americana.

Fotos: M-Sport, Hyundai Motorsport, Citroën Racing, Toyota Gazoo Racing, Skoda Motorsport