Ott Tänak chega líder ao final do Dia 1 do YPF Rali da Argentina e já com grande vantagem. 

Ott Tänak acreditava anteontem ser possível a Toyota marcar o ritmo da frente na edição 2018 do YPF Rali da Argentina e, chegados ao final do primeiro longo dia de especiais, é mesmo ele quem lidera a ‘armada’ nipónica e, consequentemente, o rali.

O dia de ontem não começou bem para o estónio da Toyota Gazoo Racing, que não evitou um pião com o Yaris WRC em Las Bajadas – Villa del Dique 1, a primeira especial do dia. A ‘asneira’ custou-lhe 25 segundos de atraso para o então líder, Sébastien Ogier que, logo pela manhã começava a vencer, mostrando que vinha para mais do mesmo na Argentina.

“Foi um erro estúpido”, disse Tänak. “Toquei numa pedra, fiz um pião e parti algo na direção, o que me veio a causar problemas nas especiais seguintes”.

Com problemas nas especiais seguintes, ou não, a verdade é que Tänak de imediato começou a ‘abrir o livro’ do talento, vencendo as duas especiais seguintes – Amboy/Yacanto 1, Santa Rosa/San Augustin 1 – especiais daquelas que fazem logo a diferença pela sua extensão, com 33.58km e 23.85km.

Até ao fim do dia, Tänak ainda venceu mais três especiais, as segundas passagens por Las Bajadas/Villa del Dique, Amboy/Yacanto e Santa Rosa/San Augustin.

“Estou decididamente muito feliz por hoje”, disse Ott Tänak. “Hoje, tivemos que dar o máximo e eu não teria conseguido fazer isso se não estivéssemos com o melhor ‘feeling’ do carro. O Yaris está realmente muito bom e a dar-me máxima confiança. É bom ver que conseguimos evoluir o carro e isso começa a dar frutos, apesar de eu pensar que ainda há mais para vir. É uma pena que tenhamos perdido algum tempo na primeira especial da manhã. Não estou muito certo de como aconteceu, mas fizemos um pião numa zona estreita e demorámos algum tempo a voltar à posição ideal. Depois, começámos a dar o máximo para recuperar e, esta tarde, fizemos as especiais perfeitas. Sinto-me muito confiante na liderança. Amanhã, as especiais são ainda mais rápidas e nós sabemos que nesse tipo de estradas, estamos atualmente muito à vontade. O ano passado, pude fazer muito bons tempos nestas especiais. Estou ansioso que o dia comece”.

Um bom dia de prova teve também Kris Meeke, no Citroën C3 WRC. O britânico continua a mostrar porque é o ‘homem’ certo aos comandos do carro francês. Na fase inicial do dia, Meeke sofreu com o pó levantado pelo carro de Sébastien Ogier, mas acabou por ter um bom desempenho ao fim das sete especiais disputadas. A última especial do dia acabou por ser nefasta para o inglês, que não evitou um furo, perdendo preciosos segundos para o líder. No entanto, Meeke foi claro ao dizer que “hoje era impossível seguir o Ott, ele estava a outro nível”.

Thierry Neuville, o líder ao fim da primeira especial, à noite em Villa Carlos Paz, passou ontem por um dia inconstante. O belga acabou a travar um intenso duelo com o companheiro de equipa, Dani Sordo. Ao optar por um composto de pneus mais duro para as especiais da tarde, no qual não foi acompanhado pelo espanhol, Neuville acabou por tirar vantagem, chegando ao fim do dia com uma magra vantagem de 0.9s, na terceira posição.

Dani Sordo

Dani Sordo, voltou a mostrar que atualmente merece mais da equipa, estando a ter uma temporada consistente, de excelentes desempenhos nos ralis do calendário em que está ao volante do i20 WRC. Sempre navegado por Carlos Del Barrio, Sordo venceu uma especial, a única passagem por Fernet Branca, que foi a SS5 do dia. É quarto da geral.

Ao fim de um longo primeiro dia de prova, o melhor da M-Sport é Sébastien Ogier. O Campeão em título, terminou o dia no quinto lugar, a 6.9s de Dani Sordo e a cerca de meio minuto de Ott Tänak. O francês acabou por sofrer pelo facto de ser o primeiro carro na estrada, preparando o terreno para melhor disfrute de quem o seguia. Se na fase inicial do dia, o pó levantado no ar se mantinha vivo pelo pouco vento, dando vantagem ao francês da M-Sport Ford World Rally Team, a verdade é que essa situação mudou depressa e Ogier acabou por sofrer com isso.

Sébastien Ogier

Do sexto ao 10º lugar estão, Craig Breen (Citroën), Andreas Mikkelsen (Hyundai), Esapekka Lappi (Toyota), Elfyn Evans (M-Sport) e Teemu Sunninen (M-Sport).

Latvala de Novo Está Fora

O finlandês da Toyotra continua a fazer a perfeita simbiose entre o oito e o 80. Rápido como sempre, mas aquela ‘falta de ar’ chega vezes sem conta ao ‘capitão’ Tommi Mäkkinen, que nunca sabe se Jari-Matti ganha os troços ou acaba destruindo o Yaris WRC na tentativa. Infelizmente, na Argentina, acabou por se destacar a opção B, com o finlandês a acabar fora da prova, após embater numa pedra e quebrar a suspensão dianteira do lado direito.

“As sensações dentro do carro esta manhã eram perfeitas”, disse Latvala. “O Yaris WRC estava a andar muito bem aqui e era muito fácil de guiar. Estava-me a divertir. A segunda especial do dia estava a correr muito bem e eu estava cada vez mais á vontade. Depois, entrámos numa longa direita e, à saída, embati numa pedra que não consegui ver no meio das sombras. De imediato, a suspensão direita da dianteira partiu-se e um dos tubos do óleo ficou danificado, pelo que tive que parar. Neste rali há tantas pedras, que às vezes temos sorte com elas e outras não. Acho que fui muito infeliz. Tenho pena pois estávamos com muito bom ritmo. Também o Mikka, o meu navegador, está bastante frustrado, porque ele sabe que eu nem estava muito ao ataque. Agora, preciso de atirar isto ‘para trás das costas’ e preparar a próxima prova. Uma coisa é certa, o carro estava fantástico”.

Texto: Jorge Cabrita  Fotos: Toyota Gazoo Racing, Citroën Racing Media, Hyundai Motorsport, M-Sport