Para comer, ir às compras, ou visitar familiares e amigos – por muitos motivos – o Natal é uma das épocas do ano em que mais utilizamos o nosso automóvel, tendo por isso que extremar as nossas precauções ao volante. Além disso, o nosso carro torna-se um aliado nesta época festiva. Como transportar o pinheiro de Natal corretamente? De que forma eliminamos a névoa dos cristais/faróis? Como fazemos para respeitar a distância de segurança ou para utilizar sistemas de ajuda à condução, como o Front Assist, nesta época em que há uma maior densidade de tráfego? Javier Delgado, Engenheiro de Segurança Passiva da Seat, deixa aqui alguns conselhos:

A árvore de Natal, onde transportá-la?
É impossível imaginar um Natal sem o emblemático pinheiro mas, antes de o comprarmos, temos que ter em conta as suas medidas, para que o possamos transportar no automóvel sem prejuízo da visibilidade do condutor. “Caso seja volumoso, o melhor será transportá-lo no tejadilho e nunca nos bancos traseiros. É aconselhável situar o tronco longitudinalmente e, por normativa, somente poderá sobressair da parte traseira do veículo em 15%”. Para não causar danos na carroceria e garantir a nossa segurança, “vamos coloca-lo nas barras do tejadilho e prendê-lo com cintas de catraca com tranca”, explica Javier Delgado. Para circular, aconselha-se uma condução suave e moderada, pelo que são de evitar as vias rápidas ou autoestradas.

Como colocar os presentes?
Para colocar os pacotes (prendas) e ao mesmo tempo garantir a nossa segurança, “vamos colocá-los na bagageira e em hipótese alguma sob a proteção da bagageira ou nos bancos dos passageiros. Ao não termos esse cuidado e, só para dar uma ideia – circulando a 50 km/h e, em caso de travagem brusca, uma embalagem de 30 kg, poderia converter-se numa masse de 750 kg, desta forma multiplicando o seu peso por 25”, adverte o perito. Um bom conselho consiste em, “colocar os pacotes mais pesados em baixo e quanto mais atrás melhor e os mais leves por cima”, acrescenta Delgado.

Não usar proteções quando ao volante
Ainda que as temperaturas estejam frias no exterior, dentro do automóvel devemos evitar conduzir com luvas e/ou cachecol. “Dificultam a nossa liberdade de movimentos e podem comprometer a nossa segurança. É preferível regular o climatizador do veículo e circular a uma temperatura de conforto de 22ºC”, aconselha o perito em segurança passiva.

De que maneira limpamos os cristais/faróis?
Nesta época do ano, é muito comum que as óticas do automóvel se cubram de névoa. Ainda que a solução mais comum seja tentar limpar com um pano, “recomenda-se ativar a função de desbloqueamento do veículo e colocar o ar condicionado no modo automático, para eliminar a humidade do ar”.

De regresso a casa, em segurança
Esta é uma das épocas do ano com maior densidade de tráfego. Por isso é recomendável que tomemos o máximo de precaução. Algumas ajudas à condução podem ser de grande utilidade. “Assistentes como o Front Assist podem detetar outros veículos e peões, convertendo-se em nossos aliados ao volante, ao permitir-nos evitar possíveis colisões” , concluiu Javier Delgado.

Fotos: Seat