Depois de um teste em condições reais realizado no Azores Airline Rally, prova em que a equipa optou para não pontuar, o Citroën Vodafone Team e José Pedro Fontes/ Paulo Babo estão prontos para enfrentar o Rali de Mortágua, no próximo fim de semana, naquele que será o seu segundo evento a sério do presente ano.

“De facto, decidimos alinhar no Rali dos Açores com objetivos muito definidos, entre os quais o meu maior entrosamento com o Paulo Babo como navegador, ao mesmo tempo que preparámos as restantes provas do Campeonato de Portugal de Ralis, como é o caso do Rali de Mortágua, que ainda vamos fazer ao volante do DS 3 R5, antes de alinharmos com o novo C3 R5, carro que esperamos estrear no Vodafone Rali de Portugal”, referiu José Pedro Fontes.

Prova que o Citroën Vodafone Team venceu há um ano, com outra dupla que não esta que agora se apresenta à partida com o nº 6 nas portas, há que tentar atingir igual resultado, se bem que a tarefa este ano se mostre bem mais difícil: “Dada a evolução do parque automóvel e a chegada de novas equipas ao Campeonato de Portugal de Ralis, a tarefa não se mostra muito fácil, mas não há impossíveis, pelo que vamos apostados em, pelo menos, alcançar um lugar no pódio final”, antecipa o piloto do Porto.

Quanto à estrutura do Rali de Mortágua, Fontes refere que “o verdadeiro rali só se inicia no sábado, já que a sexta-feira está reservada às Super Especiais que, sendo excelentes meios de promoção da disciplina, junto do publico e no centro das cidades, são classificativas que proporcionam sentimentos opostos, pois se correr algo menos bem, isso significa tempo perdido num rali que, depois, não dá muita margem de manobra para recuperar. De qualquer modo, vamos tentar dar o espetáculo possível e fazer tudo direitinho, para depois discutir os lugares da frente nos 3 troços em terra do dia seguinte, onde nos sentimos bem mais à vontade para atacar”.

Foto: AIFA