Dificilmente a Mazda poderia ter acertado melhor na sua aposta para o segmento crossover. O Mazda CX-3 é um galã de eleição, ao qual ninguém fica indiferente. Não é nada fora de contexto referir que o construtor nipónico criou um ícone!

O segmento dos crossovers compactos está na moda e qualquer construtor com um mínimo de ambição e objetivos, terá que pensar em criar alternativas tentadoras para se impor, ou sobreviver, num dos mais apelativos e competitivos ‘nichos’ do mercado automóvel, em todo o mundo. Saber que as marcas têm sido felizes no lançamento de propostas cossover, acaba por não facilitar a vida nem aos construtores, nem ao consumidor, alvo único deste tipo de conceito automóvel. A qualidade é muita e assim, fica difícil a escolha.

A Mazda não teve medo da forte concorrência, em qualidade e quantidade e ‘jogou’ o seu CX-3 para um palco em que a primeira impressão é tudo. A aposta não poderia ser mais certeira. Seja do ponto de vista estético, ou no que concerne à habitabilidade, funcionalidade e prazer de condução, o CX-3 é, a nosso ver, perfeito. Tivemos a oportunidade de testar a versão com motor 1.5 SKYACTIV-D, de 105 cv e tração dianteira. Que delícia.

A Irreverência do Estilo

A Mazda conseguiu aliar na perfeição a sua atual linha estilística com as dimensões compactas de um produto crossover, de segmento C. O apelo estético do CX-3 é elevado, assim como a elegância que consegue assumir e ostentar. Ninguém lhe fica indiferente, homem ou mulher, jovem ou maduro(a). A silhueta é um exercício de rara perfeição, capaz de nos tirar o foco, encantados com cada detalhe, pensado para impressionar. A frente é irresistível, tanta a energia que emana a cada traço. É também impossível não nos deixarmos dominar pela grelha dianteira e pela total cumplicidade das óticas, tão eloquentes, tão fortes.
Agressividade é a expressão que nos ocorre a cada olhar para o Mazda CX-3, seja qual for o ângulo pelo qual o contemplamos. O exercício é notável, ao ponto de ser ele o centro da paisagem, mesmo nos cenários mais paradisíacos, como a região dos Salgados, no Algarve. Trata-se de um crossover, mas a agressividade das linhas faz dele um produto enérgico e capaz de captar até o irreverente condutor que só tem olhos para os desportivos.
Não há pontos fracos no design do Mazda CX-3. É comum a traseira de alguns modelos automóveis ser um espaço incapaz de nos cativar, sendo apenas a extensão do automóvel. O CX-3 também aí rompe com o trivial. A frente agressiva, a lateral irreverente, tudo joga para se enquadrar numa traseira que assume a sua importância em todo o exercício estilístico deste crossover de eleição.

Bem Equipado

O Mazda CX-3 que testámos, é um “Special Edition“, pelo que conta com um excelente nível de equipamento, incluindo itens relevantes, em termos de segurança activa e passiva, assim como ajudas a uma melhor condução. Inclui ABS, airbags frontais, laterais e de cortina, Mas, há muito mais: um sistema áudio premium da BOSE, bluetooth, entradas USB (2), ar condicionado automático, computador de bordo, volante revestido a pele, retrovisores elétricos, sistema de monitorização da pressão dos pneus, jantes de liga leve, bancos em pele, aquecidos na dianteira, retrovisores elétricos, faróis de nevoeiro e luzes diurnas em LED, máximos automáticos, camara de auxilio ao estacionamento traseiro e, a lista continua.
Quem está ao volante deste Mazda CX-3, conta com vários sistemas de ajuda à condução, para que seja possível desfrutar melhor desta excelente proposta da casa de Hiroshima, em máxima segurança. Sistema i-Stop de arranque inteligente, Start&Stop, controlo dinâmico de estabilidade (ESP), Active Drive Display (sistema de navegação, écran LCD), Smart City Brake Support – SCBS (travagem em cidade), Smart Brake Support – SBS, Traffic Sign Recognition – TSR, Driver Attention Alert – DAA, Mazda Radar Cruise Control – MRCC, Rear Cross Traffic Alert – RCTA e Lane Departure Warning System – LDWS.
O Mazda CX-3, como proposta de segmento C, não tem um espaço interior abundante. Ainda assim, cumpre de forma mais que satisfatória a função de proporcionar qualidade de vida e conforto a 5 ocupantes, embora o ideal sejam mesmo 4. O espaço é amplo para quem viaja na frente e mais acanhado atrás, especialmente para pessoas mais altas, que terão que ter algum cuidado a entrar e sair do veículo, já que na zona da curvatura do pescoço, encontramo-nos sempre muito juntos ao mesmo. Uma vez no interior, o espaço é agradável e confortável. A bagageira proporciona, no mínimo, 350 litros, podendo estes ser extensíveis aos 1,260, com os bancos traseiros rebatidos.

Dinamismo e Eficiência Irrepreensíveis

Após as largas centenas de quilómetros efetuados no Mazda CX-3 de duas rodas motrizes, as sensações dificilmente poderiam ser melhores. Desde logo, agrada a posição de condução que permite um bom desempenho do condutor. Mesmo se, dependendo da afinação, temos alguma dificuldade em consultar o painel de instrumentos, esse detalhe acaba por ser anulado pelo útil head-up display, que ainda aporta requinte extra a um produto de segmento, digamos que popular. Bem sentados, com uma caixa de velocidades bem escalonada e melhor posicionada, desfrutamos da dinâmica de um modelo bem conseguido, no equilíbrio de chassis e isolamento do habitáculo, que nos permite alhear do mundo exterior para apenas defrutar da condução. O motor de 105 cv é eficiente, económico e muito agradável na utilização. Ainda que a ‘mentalidade’ crossover obrigue a alguma (pouca) altura do chassis, isso em nada afeta o desempenho dinâmico. Aliás, este Mazda curva de forma absolutamente perfeita, permitindo até alguns abusos, para que quem sabe se possa divertir. Um autêntico aperitivo de prazer, proporcionado por uma proposta que, ainda por cima, arrasa pela positiva na estética.

Conclusão Óbvia: Espetáculo!

Pela segunda vez no histórico de Testes da OnWheelsTV, damos as 5 estrelas a um automóvel. O Mazda CX-3 1.5 SKYACTIV-D 2WD de 105 cv, verdadeiramente encantou-nos como proposta. Uma imagem de eleição, acompanhada com dinamismo a condizer. No espaço interior, com algumas dificuldades aqui e ali, acaba ainda assim por agradar e muito, no cômputo geral. Com acesso a um bom nível de equipamento básico e vários packs, ‘ao gosto do freguês’, pode ser adquirido por um preço que se inicia nos €23.623. Acreditem, vale a pena experimentar, a quem ainda não o fez.

Fotos: OnWheelsTV/Jorge Cabrita

Ficha Técnica Mazda CX-3 1.5 SKYACTIV-D 2WD (105 cv Excellence Navi
Motor: Diesel, 4 cilindros em linha, Injeção direta Common-Rail, turbo de geometria variável c/intercooler
Cilindrada (cc): 1.499
Diâmetro x Curso (mm): 76,0 x 82,6
Taxa de compressão: 14.8:1
Potência (cv/rpm): 105/4000
Binário (Nm/rpm): 270/1600-2500
Transmissão/Direção: Dianteira, caixa manual de 6 velocidades, pinhão e cremalheira c/assistência elétrica
Suspensão (fr/tr): McPherson/Eixo de torção
Prestações:
– 0 a 100 km/h (s): 10,1
– Velocidade máxima (km/h):  177
– Consumos (Extra-urbano/Urbano/Misto) Lt/100km): 3,8/4,4/4,0
– Emissões de CO² (g/km): 105
Dimensões
– Comprimento/Largura/Altura (mm): 4,275/1,765/1,535
– Distância entre eixos (mm): 2,570
– Largura de vias (fr/tr) (mm): 1,525/1,520
– Travões (fr/tr): Discos ventilados/Discos
– Bagageira (lt): 350/1,260
– Depósito (lt): 48
– Pneus (fr/tr): 215/60 R16/215/60 R16
Peso (kg): 1.820
Preço (versão ensaiada): €24.090,046