A próxima etapa da Monster Energy NASCAR Cup Series será neste domingo no Alabama, onde será disputada a Geico 500, em Talladega Superspeedway. A lista de pilotos inscritos já conta com 40 carros.

Alguns dizem que para vencer numa ‘superspeedway’ é preciso ter um bom carro e motor, mas nem sempre isso te garante um bom resultado – segundo alguns pilotos – é preciso ter muita sorte.

Durante a semana, alguns pilotos novatos e experientes falaram um pouco sobre como ter sucesso na pista.

“É divertido o ‘superspeedway’ porque é algo diferente do que estamos acostumados a fazer”, disse Cole Custer, piloto da Rick Ware Racing. “É impossível ficar longe dos problemas, mas parece que a melhor coisa é tentar ficar na frente e longe desses ‘problemas’. A gente nunca sabe quando vai bater e tem que se manter focado para o tentar evitar. Às vezes, um bom resultado em Talladega se resume a pura sorte, se você não puder liderar em todas as voltas”.

Clint Bowyer, que comandará o carro #14 da Stewart-Haas Racing, também comentou sobre a sorte.

“Tem sido bom para nós, mas eu sei que tem que respeitar essas pistas se você quer chegar no fim delas. Obviamente, você tem que ter um pouco de sorte para não se envolver  em acidentes e o mais importante, tenha cuidado para não causar isso sozinho”, referiu Bowyer.

Após vencer a sua terceira corrida na temporada (Texas, Bristol e Richmond), Kyle Busch comentou sobre a possibilidade de vencer a quarta corrida consecutiva na temporada, em Talladega.

“Mais fácil vencer na loteria”, disse Busch após a etapa em Richmond. “Nunca realmente está nas mãos do piloto, é como um destino, nós só vamos conseguir o que pudermos”.

Alex Bowman irá pela primeira vez, como piloto titular, guiar o #88 da Hendrick Motorsports em Talladega. O piloto de 25 anos carrega com ele uma grande responsabilidade, pilotar o carro que foi de Dale Earnhardt Jr, conhecido por andar muito bem nos ‘superspeedway’.

“É muito stressante não controlar o seu próprio destino, você pode facilmente se envolver em confusão de outra pessoa”, disse Bowman. “Eu conversei com Dale porque achava que ele gostava desse estilo de corrida, e ele nem gosta disso. Ele é o melhor que existe, e se ele não gosta, isso mostra o quão stressante pode ser”.

Texto: Wellingson De Souza  Fotos: NASCAR Media/Getty Images (Chris Graythen, Brian Lawdermilk, Sarah Crabill)